Translator

segunda-feira, 7 de março de 2011

O FORROBODÓ CÁ DO NOSSO JARDIM...!!! É MESMO DE IR PARA A RUA NO DIA 12 DE MARÇO...



Mais uma razão para no dia 12 sair à rua.Vamos correr com estes parasitas e sanguessugas...
Campos de Barros

Alguém tem que pôr termo a isto e vai pôr. O que deve ser feito está muito claro e está a começar a ser feito.

"TAP avança com aumentos nos subsídios das chefias até 76%

Hermínia Saraiva
07/03/11 07:07

Pelo menos 15 dos cargos de chefia da TAP receberam em Janeiro aumentos dos subsídios de funções em terra.
.
Pelo menos 15 dos cargos de chefia da TAP receberam em Janeiro aumentos dos subsídios de funções em terra. Em alguns casos, a revisão desta rubrica, com efeitos retroactivos a Setembro de 2010, chega aos 75,6%.
.
Uma medida que surge numa altura em que a companhia aérea de aviação está, a par de todas as outras empresas públicas, a cortar 5% da massa salarial bruta anual. A TAP contesta que tenham existido aumentos e fala da "alteração do sistema de remuneração dos quadros superiores".
.
Os maiores aumentos foram atribuídos a um assessor do conselho de administração e ao director de operações, que passaram a receber mais 2.800 euros brutos por mês, auferindo actualmente um subsídio de função de 6.500 euros brutos. De acordo com a listagem a que o Diário Económico teve acesso, ao final de um ano isto representa um valor acumulado de 91.000 euros a somar ao salário.
.
Além destas revisões, há aumentos que variam entre 66,6% (mais 2.000 euros brutos) e os 4% (mais 100 euros), abrangendo diversas chefias intermédias. Ao que explicou ao Diário Económico uma fonte do sector isto inclui chefes de gabinete, directores e coordenadores de diversos gabinetes: projecto, qualidade, segurança de voo, instrução e chefia de frotas, entre outros."
In "Diário Económico" de hoje 7/03/2011

BANGUECOQUE: SEGUINDO OS PASSOS DOS PORTUGUESES

Cumprindo a nossa nobre missão de há mais de 30 anos divulgarmos o nome de Portugal na Tailândia e, mesmo sem nos encomendarem o "sermão" é com muito prazer que inserimos a peça que hoje saiu no matutino o "Bangkok Post". Entretanto para mais conhecimento em cima da história de Portugal na Tailândia, recomendamos os nossos blogues (onde estão descritos os velhos bairros portugueses em Banguecoque) assim como a história, em profundidade, da presença histórica de Portugal na Tailândia desde 1511 até ao ano corrente que marca 5 séculos de bom relacionamento e não conhecidas, divergências diplomáticas e outras. Os nossos blogues: http://portugalnatailandia.blogspot.com/ http://maquiavelices.blogspot.com/ http://maquiavelencias.blogspot.com/ http://aquitailandia.blogspot.com/ e o portal http://www.aquimaria.com/ - José Martins

Seguindo os passos dos Portugueses

Na sequência da sua recente simpósio comemora 500 anos da chegada dos europeus em Sião, o Museu Nacional de Voluntários está agora a organizar uma excursão de meio-dia os passos dos portugueses, os primeiros europeus se aventurar na região. Terá lugar em 18 de março de 08h30-uma horas.

Residência dos Embaixadores de Portugal, acreditados, na Tailândia

O dia começará com uma visita à Embaixada Português e Residência de frente para o rio Chao Phraya. Luisa Dutra, o actual Director do Centro Cultural Português, vai orientar o passeio pelo antigo armazém, que se tornou a Chancelaria maravilhosamente renovados da Embaixada.

Uma visita à Embaixada da elegante residência seguirá.

Este magnífico edifício foi construído em 1860 durante o reinado do Rei Mongkut e é um exemplo típico do Português arquitetura colonial da época.

A casa foi restaurada ao seu design original e com a sua grandeza e varandas bonitas, escadas e mobiliário requintado, onde os visitantes ainda podem sentir a atmosfera de tempos passados.

Sua Excelência, o Embaixador de Portugal, Dr. Jorge Torres Pereira, irá liderar o NMV na visita cultural desde a residência histórica.

A visita, então, tomará a curta distância para 0 bairro da Senhora do Rosário Igreja, que os descendentes Português e os primeiros comerciantes em Ayutthaya fundada em 1786 com uma doação de terras do rei Rama I.

A partir daqui, o grupo pode ver a igreja maravilhosamente renovado, com seus arcos altos, estátuas e o sereno da Virgem Maria e os seus vitrais retratando histórias do Antigo e Novo Testamentos. A vsita irá então cruzar o rio de barco para o lado Thon Buri para visitar a encantadora Igreja de Santa Cruz.

Igreja de Santa Cruz.

Esta antiga igreja Português foi construída em um lote das terras concedidas pelo rei Taksin, em reconhecimento dos serviços do Português.

A primeira versão desta igreja era uma igreja de madeira, eo atual é o resultado da terceira versão construída em 1916. Em torno desta igreja uma comunidade desenvolvida e Português, embora não muito tem-se mantido o passeio será guiado ao longo das estreitas ruas charmosas a gosto kudichin kanom - Português ainda os queques portugueses confeccionados em uma pastelaria do bairro.

A visita será, em seguida, embarcada em um barco e atravessar o rio para visitar a Igreja da Imaculada Conceição que é provavelmente a mais antiga igreja católica em Banguecoque que remonta ao século 17 na era Ayutthaya, durante o reinado do Rei Narai, o Grande.

A actual igreja foi reconstruída em 1847 e é outro monumento que marca a longa tradição de liberdade religiosa no Brasil. A excursão terminará no Saphan Taksin Pier.

Igreja da Senhora do Rosário.


Excursão Cultural

Taxa é de 900 baht (600 baht para sócios). As inscrições devem ser emailing madeby biranaviva@gmail.com de 11 de março.

HENRIQUE CALISTO: "UMA ESTRELA PORTUGUESA A BRILHAR EM BANGUECOQUE

Ex-treinador do Vietname o português Henrique Calisto o novo treinador da equipa Muang Thong, em Banguecoque

O ex-treinador do Vietname Henrique Calisto prometeu levar os "Unidos Muang Thong" ao lado bem-sucedido e divertido depois de assinar um contrato de dois anos com o lucrativo Kirins ontem.
Henrique Calisto, à esquerda, é apresentado como treinador dos Unidos Muang Thong pelo vice-presidente Viluck Lohthong no estádio Yamaha ontem.

O treinador Português, alegadamente, irá auferir o ordenado mensal de 30.000US dólares (cerca de 930 mil baht) como treinador dos "Unidos Muang Thong, duas vezes, consecutivas, campeão da Liga de Futebol Tailandesa fazendo dele o treinador mais bem pago até hoje.

"Estou ansioso para trazer sucesso para Muang Thong. Minha meta é ganhar todos os torneios", disse Calisto.

"Ele é um clube grande de sucesso que não foi difícil para mim tomar uma decisão quando se aproximaram de mim. É um desafio novo para mim."

Calisto, de 58 anos, guiou ao primeiro lugar o Vietname a título internacional de sempre em 2008, quando bateu a Tailândia no final para vencer a Copa Suzuki (campeonato Asean). Ele também trabalhou com vários clubes vietnamitas.

"Vamos jogar com o estilo de futebol latino. Estou no futebol há mais de 20 anos em Portugal e 10 anos no Vietname, então eu sei como fazer a minha equipa jogar um futebol bonito e vencer", disse Calisto.

A primeira tarefa Calisto é levar à estabelidade o Muang Thong que vêm lutando dsde o início da temporada.

Calisto é o quarto treinador do Muang Thong em apenas dois anos. Attapol Bussapakom foi demitido depois de dirigir o clube ao seu primeiro título de sempre TPL em 2009.

Seu substituto Rene Desaeyere sofrido o mesmo destino que ele foi demitido em Janeiro, depois de ajudar Muang Thong reter o título. Ele foi substituído por Carvalho cujo encanto durava apenas um par de semanas.

Muang Thong, Presidente, Ronnarit Suewaja disse que Calisto é o homem certo para o trabalho.
-
À MARGEM: Vamos seguir a actividade de Henrique Calisto em Banguecoque que não duvidamos ser o treinador certo para levar os Unidos Muang Thong, mais uma vez a campeão da Liga Tailandesa. Porém Henrique Calisto levará bem alto o nome de Portugal na Tailândia que no ano corrente faz 500 anos de relações, amistosas, com este Reino sem até hoje ser registada qualquer conflito de relacionamento diplomático e outros.
José Martins

TRIBUTO AO PROFESSOR CASTRO GOMES: ("EU ACUSO!)




(Eu acuso !)
(Tributo ao professor Castro Gomes)

Mon devoir est de parler, je ne veux pas être complice. (Émile Zola)
tradução:
Meu dever é falar, não quero ser cúmplice. (...) (Émile Zola)

Foi uma tragédia fartamente anunciada. Em milhares de casos, desrespeito. Em outros tantos, escárnio. Em Belo Horizonte, um estudante processa a escola e o professor que lhe deu notas baixas, alegando que teve danos morais ao ter que virar noites estudando para a prova subsequente. (Notem bem: o alegado “dano moral” do estudante foi ter que... estudar!).

A coisa não fica apenas por aí. Pelo Brasil afora, ameaças constantes. Ainda neste ano, uma professora brutalmente espancada por um aluno. O ápice desta escalada macabra não poderia ser outro.

O professor Kássio Vinícius Castro Gomes pagou com sua vida, com seu futuro, com o futuro de sua esposa e filhas, com as lágrimas eternas de sua mãe, pela irresponsabilidade que há muito vem tomando conta dos ambientes escolares.

Há uma lógica perversa por trás dessa asquerosa escalada. A promoção do desrespeito aos valores, ao bom senso, às regras de bem viver e à autoridade foi elevada a método de ensino e imperativo de convivência supostamente democrática.

No início, foi o maio de 68, em Paris: gritava-se nas ruas que “era proibido proibir”. Depois, a geração do “não bate, que traumatiza”. A coisa continuou: “Não reprove, que atrapalha”. Não dê provas difíceis, pois “temos que respeitar o perfil dos nossos alunos”. Aliás, “prova não prova nada”. Deixe o aluno “construir seu conhecimento.” Não vamos avaliar o aluno. Pensando bem, “é o aluno que vai avaliar o professor”. Afinal de contas, ele está pagando...

E como a estupidez humana não tem limite, a avacalhação geral epidêmica, travestida de “novo paradigma” (Irc!), prosseguiu a todo vapor, em vários setores: “o bandido é vítima da sociedade”, “temos que mudar ‘tudo isso que está aí’; “mais importante que ter conhecimento é ser ‘crítico’.”

Claro que a intelectualidade rasa de pedagogos de panfleto e burocratas carreiristas ganhou um imenso impulso com a mercantilização desabrida do ensino: agora, o discurso anti-disciplina é anabolizado pela lógica doentia e desonesta da paparicação ao aluno – cliente...

Estamos criando gerações em que uma parcela considerável de nossos cidadãos é composta de adultos mimados, despreparados para os problemas, decepções e desafios da vida, incapazes de lidar com conflitos e, pior, dotados de uma delirante certeza de que “o mundo lhes deve algo”.

Um desses jovens, revoltado com suas notas baixas, cravou uma faca com dezoito centímetros de lâmina, bem no coração de um professor. Tirou-lhe tudo o que tinha e tudo o que poderia vir a ter, sentir, amar.
Ao assassino, corretamente , deverão ser concedidos todos os direitos que a lei prevê: o direito ao tratamento humano, o direito à ampla defesa, o direito de não ser condenado em pena maior do que a prevista em lei. Tudo isso, e muito mais, fará parte do devido processo legal, que se iniciará com a denúncia, a ser apresentada pelo Ministério Público.

A acusação penal ao autor do homicídio covarde virá do promotor de justiça. Mas, com a licença devida ao célebre texto de Emile Zola, EU ACUSO tantos outros que estão por trás do cabo da faca:
EU ACUSO a pedagogia ideologizada, que pretende relativizar tudo e todos, equiparando certo ao errado e vice-versa;
EU ACUSO os pseudo-intelectuais de panfleto, que romantizam a “revolta dos oprimidos”e justificam a violência por parte daqueles que se sentem vítimas;
EU ACUSO os burocratas da educação e suas cartilhas do politicamente correto, que impedem a escola de constar faltas graves no histórico escolar, mesmo de alunos criminosos, deixando-os livres para tumultuar e cometer crimes em outras escolas;
EU ACUSO a hipocrisia de exigir professores com mestrado e doutorado, muitos dos quais, no dia a dia, serão pressionados a dar provas bem tranqüilas, provas de mentirinha, para “adequar a avaliação ao perfil dos alunos”;
EU ACUSO os últimos tantos Ministros da Educação, que em nome de estatísticas hipócritas e interesses privados, permitiram a proliferação de cursos superiores completamente sem condições, freqüentados por alunos igualmente sem condições de ali estar;
EU ACUSO a mercantilização cretina do ensino, a venda de diplomas e títulos sem o mínimo de interesse e de responsabilidade com o conteúdo e formação dos alunos, bem como de suas futuras missões na sociedade;
EU ACUSO a lógica doentia e hipócrita do aluno-cliente, cada vez menos exigido e cada vez mais paparicado e enganado, o qual, finge que não sabe que, para a escola que lhe paparica, seu boleto hoje vale muito mais do que seu sucesso e sua felicidade amanhã;
EU ACUSO a hipocrisia das escolas que jamais reprovam seus alunos, as quais formam analfabetos funcionais só para maquiar estatísticas do IDH e dizer ao mundo que o número de alunos com segundo grau completo cresceu “tantos por cento”;
EU ACUSO os que aplaudem tais escolas e ainda trabalham pela massificação do ensino superior, sem entender que o aluno que ali chega deve ter o mínimo de preparo civilizacional, intelectual e moral, pois estamos chegando ao tempo no qual o aluno “terá direito” de se tornar médico ou advogado sem sequer saber escrever, tudo para o desespero de seus futuros clientes-cobaia;
EU ACUSO os que agora falam em promover um “novo paradigma”, uma “ nova cultura de paz”, pois o que se deve promover é a boa e VELHA cultura da “vergonha na cara”, do respeito às normas, à autoridade e do respeito ao ambiente universitário como um ambiente de busca do conhecimento;
EU ACUSO os “cabeça – boa” que acham e ensinam que disciplina é “careta”, que respeito às normas é coisa de velho decrépito,
EU ACUSO os métodos de avaliação de professores, que se tornaram templos de vendilhões, nos quais votos são comprados e vendidos em troca de piadinhas, sorrisos e notas fáceis;
EU ACUSO os alunos que protestam contra a impunidade dos políticos, mas gabam-se de copiar nas provas, assim como ACUSO os professores que, vendo tais alunos copiarem, não têm coragem de aplicar a devida punição.
EU VEEMENTEMENTE ACUSO os diretores e coordenadores que impedem os professores de punir os alunos que colam, ou pretendem que os professores sejam “promoters” de seus cursos;
EU ACUSO os diretores e coordenadores regionais que toleram condutas desrespeitosas de alunos contra professores e funcionários, pois sua omissão quanto aos pequenos incidentes é diretamente responsável pela ocorrência dos incidentes maiores;

Uma multidão de filhos tiranos que se tornam alunos -clientes, serão despejados na vida como adultos eternamente infantilizados e totalmente despreparados, tanto tecnicamente para o exercício da profissão, quanto pessoalmente para os conflitos, desafios e decepções do dia a dia.

Ensimesmados em seus delírios de perseguição ou de grandeza, estes jovens mostram cada vez menos preparo na delicada e essencial arte que é lidar com aquele ser complexo e imprevisível que podemos chamar de “o outro”.

A infantilização eterna cria a seguinte e horrenda lógica, hoje na cabeça de muitas crianças em corpo de adulto: “Se eu tiro nota baixa, a culpa é do professor. Se não tenho dinheiro, a culpa é do patrão. Se me drogo, a culpa é dos meus pais. Se furto, roubo, mato, a culpa é do sistema. Eu, sou apenas uma vítima. Uma eterna vítima. O opressor é você, que trabalha, paga suas contas em dia e vive sua vida. Minhas coisas não saíram como eu queria. Estou com muita raiva. Quando eu era criança, eu batia os pés no chão. Mas agora, fisicamente, eu cresci. Portanto, você pode ser o próximo.”

Qualquer um de nós pode ser o próximo, por qualquer motivo. Em qualquer lugar, dentro ou fora das escolas. A facada ignóbil no professor dói no peito de todos nós. Que a sua morte não seja em vão.
É hora de repensarmos a educação e abrirmos mão dos modismos e invencionices. A melhor “nova cultura de paz” que podemos adotar nas escolas e universidades é fazermos as pazes com os bons e velhos conceitos de seriedade, responsabilidade, disciplina e estudo de verdade.
Igor Wildmann
Advogado – Doutor em Direito. Professor universitário.

O SÓCRATES, SUA SECRETÁRIA E PROPOSTA DE UMA SACANICE...!!!


Este povo tem sentido de humor...

A secretária de Sócrates estava apaixonada por ele, mas este nem percebia...
Um dia depois do expediente, entrou na sala dele com um vestido provocante, bastante decotado, fechou a porta atrás de si, caminhou languidamente até à mesa, com ares de Mónica Lewinski, e propôs-lhe:
- Sr. Primeiro Ministro, vamos fazer uma sacanice?
- Vamos!!!
Onde é que eu assino?

SPORTING E BENFICA: DEDICADO AOS ADEPTOS, ENFERMOS, DOS DOIS CLUBES

HUMOR E A DOENÇA DA BOLA
.
O que andas a fazer no SPORTING >>>BENFICA

FRANCISCO MOITA FLORES: UM VÓMITO

Um vómito

O subsídio de César não foi para os funcionários pobres das ilhas. Foi para aqueles que mais ganham.

Carlos César, presidente do Governo Regional dos Açores, tornou-se o ilustrativo exemplo de como a política, quando já se julga que não pode descer mais baixo, ainda tem mais um degrau para descer no mundo da amoralidade. Os subsídios aos funcionários atingidos pelos cortes nos vencimentos, que segundo ele não ultrapassam três milhões de euros, nem chegam a ser uma medida populista. Atingem um núcleo restrito de técnicos superiores, chefes de divisão, directores e subdirectores, nos quais se incluem naturalmente o contingente dos seus mais leais serviçais políticos. Os 'boys' de César. Não tem a ver com ultra periferia nem com a atracção de novos quadros, como alguém argumentou, pois não vai surgir desta decisão cesarista um movimento migratório de quadros técnicos para os Açores. Tem apenas a ver com ambição e perfil de quem nos governa. Tido como um dos eventuais substitutos de Sócrates, o que daqui resulta é que quer atingir Sócrates. Não pela criação de uma política nobre, mas à cotovelada.

O subsídio de César não foi para os funcionários pobres das ilhas. Foi para aqueles que mais ganham, e ao mesmo tempo um valente pontapé no Governo central do seu Partido. Em nome dos Açores? Não. Em nome da Autonomia? Não. Em nome dos interesses estratégicos de César. Um general que não alimenta as tropas corre o risco de deserções. A sua decisão não foi apenas uma afronta ao Governo da República. É um escárnio sobre os funcionários que nas mesmas condições, em zonas mais pobres do que os Açores, estão comprometidos com o apertar do cinto orçamental. É o desprezo absoluto pela política nacional por troca com os prémios de jogo que decidiu pagar às suas clientelas regionais. Diz que este ano a massa resulta de umas obra num campo de futebol que não se farão. E para o ano? E para o ano seguinte? É claro que acabarão por pagar aqueles que viram no resto do país os seus salários cortados. Não admira pois que esta mediocridade moral nem consiga receber o apoio do seu Partido. É levar demasiado longe o caciquismo. Aos limites do vómito. Porém, regozija-se o Bloco de Esquerda, o símbolo maior do refilanço pré-juvenil com e sem causas. E.... Manuel Alegre! É doloroso ver um candidato a Presidente da República preso a esta imundície moral por necessidade de votos. Dirão alguns que é coisa menor comparando com os muitos milhões do BPN e de outros imbróglios afins. Seria verdade se o dinheiro fosse a medida de todas as coisas. Mas não é. A maior das medidas é o sentido de Pátria, assumida com elevada responsabilidade e rigor. E isto César não sabe o que é.

Francisco Moita Flores

AQUI NÃO SE DIZ MAL DO AVÔ PORTUGAL...MAS DOS NETOS QUE O VENDERAM!

O funeral do avô Portugal. Foi senhor de muita nobreza, maior riqueza, com honorabilidade e respeitabilidade na velha-relha e rabugenta Europa. Dai-lhes senhor o esplendor da luz perpétua. Amen

Meus caros amigos. Não é piada de carnaval e o 1º de Abril ainda vem longe.Não sei quem é o autor, pois não figura na mensagem; mas que é um visionário realista, não utópico, ah! isso não há dúvida.Leiam tudo e ponderem na profundidade da análise.Boas folias para todos


Aí está ela... anda no ar e vai descer à terra... já cheira...



Há cerca de 3 ou 4 meses começaram a dar-se alterações profundas, e de nível global, em 10 dos principais factores que sustentam a sociedade actual. Num processo rápido e radical, que resultará em algo novo, diferente e porventura traumático, com resultados visíveis dentro de 6 a 12 meses...

E que irá mudar as nossas sociedades e a nossa forma de vida nos próximos 15 ou 25 anos!... tal como ocorreu noutros períodos da história recente: no status político-industrial saído da Europa do pós-guerra, nas alterações induzidas pelo Vietname/ Woodstock/ Maio de 68 (além e aquém Atlântico), ou na crise do petróleo de 73.Façamos um rápido balanço da mudança, e do que está a acontecer aos "10 factores":


1º- A Crise Financeira Mundial : desde há 8 meses que o Sistema Financeiro Mundial está à beira do colapso (leia-se "bancarrota") e só se tem aguentado porque os 4 grandes Bancos Centrais mundiais - a FED, o BCE, o Banco do Japão e o Tesouro Britânico - têm injectado (eufemismo que quer dizer: "emprestado virtualmente à taxa zero") montantes astronómicos e inimagináveis no Sistema Bancário Mundial, sem o qual este já teria ruído como um castelo de cartas. Ainda ninguém sabe o que virá, ou como irá acabar esta história !...

2º- A Crise do Petróleo : Desde há 6 meses que o petróleo entrou na espiral de preços. Não há a mínima ideia/teoria de como irá terminar. Duas coisas são porém claras: primeiro, o petróleo jamais voltará aos níveis de 2007 (ou seja, a alta de preço é adquirida e definitiva, devido à visão estratégica da China e da Índia que o compram e amealham!) e começarão rapidamente a fazer sentir-se os efeitos dos custos de energia, de transportes, de serviços. Por exemplo, quem utiliza frequentemente o avião, assistiu há 2 semanas a uma subida no preço dos bilhetes de... 50% (leu bem: cinquenta por cento). É escusado referir as enormes implicações sociais deste factor: basta lembrar que por exemplo toda a indústria de férias e turismo de massas para as classes médias (que, por exemplo, em Portugal ou Espanha representa 15% do PIB) irá virtualmente desaparecer em 12 meses! Acabaram as viagens de avião baratas (...e as férias massivas!), a inflação controlada, etc...

3º- A Contracção da Mobilidade : fortemente afectados pelos preços do petróleo, os transportes de mercadorias irão sofrer contracção profunda e as trocas físicas comerciais (que sempre implicam transporte) irão sofrer fortíssima retracção, com as óbvias consequências nas indústrias a montante e na interpenetração económica mundial.

4º- A Imigração : a Europa absorveu nos últimos 4 anos cerca de 40 milhões de imigrantes, que buscam melhores condições de vida e formação, num movimento incessante e anacrónico (os imigrantes são precisos para fazer os trabalhos não rentáveis, mas mudam radicalmente a composição social de países-chave como a Alemanha, a Espanha, a Inglaterra ou a Itália). Este movimento irá previsivelmente manter-se nos próximos 5 ou 6 anos! A Europa terá em breve mais de 85 milhões de imigrantes que lutarão pelo poder e melhor estatuto sócio-económico (até agora, vivemos nós em ascensão e com direitos à custa das matérias-primas e da pobreza deles)!

5º- A Destruição da Classe Média : quem tem oportunidade de circular um pouco pela Europa apercebe-se que o movimento de destruição das classes médias (que julgávamos estar apenas a acontecer em Portugal e à custa deste governo) está de facto a "varrer" o Velho Continente! Em Espanha, na Holanda, na Inglaterra ou mesmo em França os problemas das classes médias são comuns e (descontados alguns matizes e diferente gradação) as pessoas estão endividadas, a perder rendimentos, a perder força social e capacidade de intervenção.

6º- A Europa Morreu : embora ainda estejam projectar o cerimonial do enterro, todos os Euro-Políticos perceberam que a Europa moribunda já não tem projecto, já não tem razão de ser, que já não tem liderança e que já não consegue definir quaisquer objectivos num "caldo" de 27 países com poucos ou nenhuns traços comuns!... Já nenhum Cidadão Europeu acredita na "Europa", nem dela espera coisa importante para a sua vida ou o seu futuro! O "Requiem" pela Europa e dos "seus valores" foi chão que deu uvas: deu-se há dias na Irlanda!


7º- A China ao assalto! Contou-me um profissional do sector: a construção naval ao nível mundial comunicou aos interessados a incapacidade em satisfazer entregas de barcos nos próximos 2 anos, porque TODOS os estaleiros navais do Mundo têm TODA a sua capacidade de construção ocupada por encomendas de navios.... da China. O gigante asiático vai agora "atacar" o coração da Indústria europeia e americana (até aqui foi just a joke...). Foram apresentados há dias no mais importante Salão Automóvel mundial os novos carros chineses. Desenhados por notáveis gabinetes europeus e americanos, Giuggiaro e Pininfarina incluídos, os novos carros chineses são soberbos, réplicas perfeitas de BMWs e de Mercedes (eu já os vi!) e vão chegar à Europa entre os 8.000 e os 19.000 euros! E quando falamos de Indústria Automóvel ou Aeroespacial europeia...helás! Estamos a falar de centenas de milhar de postos de trabalhos e do maior motor económico, financeiro e tecnológico da nossa sociedade. À beira desta ameaça, a crise do têxtil foi uma brincadeira de crianças! (Os chineses estão estrategicamente em todos os cantos do mundo a escoar todo o tipo de produtos da China, que está a qualificá-los cada vez mais).

8º- A Crise do Edifício Social : As sociedades ocidentais terminaram com o paradigma da sociedade baseada na célula familiar! As pessoas já não se casam, as famílias tradicionais desfazem-se a um ritmo alucinante, as novas gerações não querem laços de projecto comum, os jovens não querem compromissos, dificultando a criação de um espírito de estratégias e actuação comum...


9º- O Ressurgir da Rússia/Índia : para os menos atentos: a Rússia e a Índia estão a evoluir tecnológica, social e economicamente a uma velocidade estonteante! Com fortes lideranças e ambições estratégicas, em 5 anos ultrapassarão a Alemanha!


10º- A Revolução Tecnológica : nos últimos meses o salto dado pela revolução tecnológica (incluindo a biotecnologia, a energia, as comunicações, a nano tecnologia e a integração tecnológica) suplantou tudo o previsto e processou-se a um ritmo 9 vezes superior à média dos últimos 5 anos!Eis pois, a Revolução!Tal como numa conta de multiplicar, estes dez factores estão ligados por um sinal de "vezes" e, no fim, têm um sinal de "igual". Mas o resultado é ainda desconhecido e... imprevisível. Uma coisa é certa: as nossas vidas vão mudar radicalmente nos próximos 12 meses e as mudanças marcar-nos-ão (permanecerão) nos próximos 10 ou 20 anos, forçando-nos a ter carreiras profissionais instáveis, com muito menos promoções e apoios financeiros, a ter estilos de vida mais modestos, recreativos e ecológicos.Espera-nos o Novo! Como em todas as Revoluções!Um conselho final: é importante estar aberto e dentro do Novo, visionando e desfrutando das suas potencialidades...


ANGOLA: "AI DAQUELE QUE LEVANTE A "GRIMPA!"




Manifestação em Angola: "Polícia perguntou-me porque estava revoltada com sistema" diz jornalista detida
07 de Março de 2011, 13:52
A jornalista do Novo Jornal, Ana Margoso, detida hoje de madrugada em Luanda, quando cobria uma manifestação anti-governamental, disse que durante o interrogatório várias vezes lhe foi questionado “por que é que está revoltada com o sistema?”.
Em declarações à Agência Lusa, Ana Margoso, que fazia parte de uma equipa de jornalistas do Novo Jornal, destacados para cobrir a manifestação marcada para hoje, explicou que foi detida com os seus colegas quando conversavam no Largo da Independência com um grupo de jovens ali reunidos "para declamar poemas e conversar".

O Largo da Independência foi o local escolhido para a realização de uma manifestação anti-governamental, convocada na internet, nas redes sociais e SMS, para hoje em Luanda.

“Estávamos a dar uma volta pela cidade para ver qual era o clima, depois de às 19:00 (18:00 de Lisboa) termos recebido uma mensagem no telefone, sobre a concentração, no Largo da Independência, de um grupo de jovens, para a declamação de poemas”, disse Ana Margoso.

Segundo a jornalista, quando a equipa do Novo Jornal já se encontrava no Largo da Independência, onde já estava uma equipa da polícia, surgiu no local, cerca da meia-noite, um grupo de 12 jovens.

“Vinham em direção ao Largo da Independência e nós os abordámos. Falei pessoalmente com um que disse que estava ali para defender a sua causa, e que mesmo que não houvesse adesão estava ali para prosseguir com o que estava programado”, explicou.

Ana Margoso salientou que, passados alguns minutos, a polícia foi ter com o grupo, informando-os que não podiam estar ali àquela hora, pedindo para se retirarem.

“Os jovens responderam que estavam ali apenas para conversar, declamar alguns poemas”, referiu Ana Margoso, acrescentando que cinco minutos depois o local estava cercado por polícias, incluindo, segundo a jornalista, a comandante interina do comando provincial de Luanda da Polícia Nacional, Elisabete Rank Frank, “Bety”.

“Foi dada voz de detenção e fomos levados para a direção provincial da polícia de investigação criminal (DPIC) de Luanda, inclusive um taxista que passava no local e parou para saber o que se passava”, contou a jornalista.

Já na DPIC, o grupo foi submetido, separadamente a um interrogatório, tendo a jornalista sido levada para uma cela, onde se encontrava sozinha, e com visitas regulares de investigadores, que lhe colocavam várias questões.

“Fui separada do grupo, levaram-me para uma sala onde os investigadores da DPIC, estiveram a falar comigo por alguns bons minutos, queriam saber da minha actividade profissional e do meu envolvimento com alguns políticos da oposição e porque razão é que eu estava revoltada com o sistema, foi uma das perguntas que um dos indivíduos me fez, uma vez que o meu pai é do MPLA”, disse Ana Margoso, que disse não ter sido maltratada fisicamente, apenas foi obrigada a limpar a cela.

A jornalista esclareceu à Lusa que foram detidas 17 pessoas no total, incluindo os quatro repórteres do Novo Jornal, mas todos foram libertados a meio da manhã em Luanda.

Além do rapper Brigadeiro Mata Frakus, que num concerto apelara à participação na manifestação de hoje, havia três mulheres entre os detidos.

A polícia ainda não prestou declarações à Lusa.

@Lusa

FRANÇA: "VAI COM DEUS SARKOZY A MARINE LIXOU-TE A VIDA...!!!


06 de março de 2011 - 05:46 p.m.
Jean-Marie Le Pen, "A Onda azul marine é uma onda"
L'ex-président du Front national, Jean-Marie Le Pen, a affirmé dimanche, à propos du succès de sa fille Marine dans un sondage la donnant pour la première fois en tête du premier tour de la présidentielle en 2012, que "la vague bleue Marine est une vague de fond".
O ex-presidente da Frente Nacional, Jean-Marie Le Pen, disse neste domingo em uma entrevista, o sucesso de sua filha Marine, dando-a como vencedora na primeiro volta das eleições presidenciais de 2012, que " Onda azul marine é uma onda. "

AFP - O ex-presidente da Frente Nacional, Jean-Marie Le Pen, disse neste domingo sobre o sucesso de sua filha em uma pesquisa sobre Marine dando-a como como vencedora no decorrer das eleições presidenciais de 2012, que "Blue Wave Marine é uma onda."

"Esta pesquisa reflete, obviamente, as qualidades pessoais da Marina, mas também é acima da imagem de uma mudança na opinião pública sobre todos os problemas enfrentados pelos cidadãos franceses, ou seja, a social, económica, de desemprego, a pobreza, a imigração e a ameaça massiva após os eventos do sul do Mediterrâneo "domingo, disse Jean-Marie Le Pen em Mari France Info.

Ele disse que "há uma consciência do povo francês. Marina tem muito boas chances no segundo turno e até mesmo ultrapassar o seu adversário no segundo turno, não é absolutamente impossível."

"A onda azul marinho é uma onda". Atinge um nível que deve ser levado em consideração", acrescentou o pai do atual presidente da FN.

ANGOLA: SE "PRETO" VAI À MANIFESTAÇÃO LEVA PORRADA NOS CORNOS...!!!

Polícia angolana detém manifestantes e jornalistas
Inserido em 07-03-2011 07:47


Movimento para a Paz e a Democracia em Angola pede a libertação imediata e incondicional dos manifestantes.


:: NOTÍCIAS RELACIONADAS

Cerca de 20 pessoas foram detidas, na última noite, pela polícia angolana. Entre os detidos estão alguns jornalistas, incluindo Pedro Cardoso, em serviço para a Renascença.

Os detidos encontravam-se na Praça 1º de Maio, em Luanda, para a agendada manifestação contra o Presidente, José Eduardo dos Santos, que deveria começar às zero horas e terminar às 18h00 de hoje. Terão sido levados do local pela polícia e, até agora, deles nada se sabe.

Entre os detidos estão jornalistas do “Novo Jornal” que faziam a cobertura do protesto. Um deles, Pedro Cardoso, estava ao serviço da Renascença e falou connosco pouco antes de ser detido, quando chegava à Praça 1º de Maio.

O último relato de Pedro Cardoso à Renascença

“Estou agora a chegar e não está ninguém. Chegou agora um grupo de cerca de 10 pessoas e nem sequer há um forte dispositivo policial. A cidade está calma, não há patrulhamento intensivo”, relatou.

Desde a detenção, não foi mais possível falar com Pedro Cardoso. Às primeiras horas desta manhã, outro jornalista angolano referia que a situação em Luanda é calma, apesar de haver menos trânsito.

Entre os detidos está também o “rapper” angolano “brigadeiro Mata Frakus”, conta o portal Angola 24horas, segundo o qual Mata Frakus e toda a equipa do “Novo Jornal” (Ana Margoso, Pedro Cardoso, Afonso Francisco e Idalio Kandé) estão detidos no Comando Provincial de Luanda.

O Movimento para a Paz e a Democracia em Angola pede a libertação imediata e incondicional dos manifestantes e dos jornalistas.

“Exigimos que ‘Brigadeiro Mata Fakus’ e toda a equipa do ‘Novo Jornal’ sejam postos em liberdade antes da realização das manifestações”, refere um comunicado do MPDA, avisando que, “caso contrário, vai tomar medidas repressivas que poderão pôr fim a diplomacia angolana no exterior”.

“O MPDA poderá proceder à convocação de uma marcha geral nos próximos dias, caso o Governo corrupto não aja dentro do prazo e dentro da lei estabelecida naquela república das bananas”, acrescenta a nota, que apela ainda “às massas angolanas que, no interior e no exterior, enfrentam com bravura, coragem, determinação patriótica e heroísmo, para reiterarem o apoio aos nossos irmãos e irmãs vítimas do regime ditatorial dirigido pelo José Eduardo dos Santos”.

Apesar das detenções, a manifestação vai decorrer, afirma o coordenador do protesto citado pelo site Angola 24horas.

A Renascença tentou também contactar a embaixada portuguesa em Luanda, mas ninguém atendeu o telefone. O mesmo se passou com o gabinete do secretário de Estado das Comunidades.

O anúncio da manifestação levou, no entanto, o Governo angolano a tomar medidas para minimizar a contestação por parte das forças armadas e da polícia, designadamente o pagamento de salários em atraso, envio de alimentos em falta há seis meses para casa de militares e promoção de outros oficiais.

Não faltam motivos de descontentamento
Ouvido pela Renascença antes das detenções da última noite, o director da Rádio Ecclesia de Luanda afirmava que não faltam motivos para o descontentamento dos angolanos e o Governo de Eduardo dos Santos devia dar mais atenção a esse estado de espírito da população.

Director da Rádio Ecclesia de Luanda descreve vida difícil dos angolanos. Peça de Domingos Pinto

“É com muita dificuldade que os pais de família conseguem matricular os seus filhos, que os jovens conseguem emprego. Uma sobrinha minha, para se matricular numa escola pública, teve que pagar. Corrupção. É tudo muito caro”, refere o padre Maurício Kamuto, para quem a situação em Angola poderá ter um “efeito dominó”, como aconteceu no Norte de África.

LÍBIA GUERRA CIVÍL PELA FRENTE - CONFLITO PROLONGADO E AS FORÇAS REBELDES A RECUAREM

.
Euforia nas fortalezas anti-governo está desaparecendo com as forças de Kadafi " a formar uma linha de defesa no deserto" e a defender a estrada para a cidade-chave de Sirte.
Última modificação: 07 de março de 2011 10:37 GMT

Reportagem no terreno, da jornalista Jacky Rowland fa, da Al Jazeera, os rebeldes têm resistido na defesa de Ras Lanuf, com sucesso aos ataques das forças do governo

Forças de oposição da Líbia estão se preparando para uma campanha prolongada na sua tentativa de derrubar o regime de Muammar Kadhafi, líder de longa data do país, com batalhas para repelir os ataques ferozes dos soldados do governo.

Forças leais ao Gaddafi avançam em direcção à área do petróleo, controlado pelos rebeldes, de Ras Lanuf hoje, em um contra-ataque em que os moradores foram obrigados a fugir e os rebeldes a recuar.

O exército líbio estava a movimentar-se na estrada, costeira estratégica, do Mediterrâneo a leste da cidade recapturada de Bin Jawad, rumo a Ras Lanuf que é a cerca de 60 km de distância e que tem um grande complexo petrolífero, testemunhas disseram à agência de notícias Reuters.

AS SUAS NOTÍCIAS DO DIA 7.3.11

Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

A. Pêra: Carnaval ameaçado
Líbia: Missão da União Europeia
Egipto: Manifestantes atacados
Jesualdo Ferreira: Nova derrota
Marcelo R. de Sousa: Recado para o PSD

Capa do Público Público

Portugal está sob ameaça dos mercados e enfrenta semana de todos os riscos
"Game over" para o Benfica na Liga
Sambódromo abre as portas no Rio de Janeiro para três dias de folia
Karzai pede à NATO que pare com a morte de civis afegãos
Chuva caiu em Ovar mas não esmoreceu os 18.000 espectadores do cortejo

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

PSP desafia Governo e prepara mil graduações
Cooperação estratégica estilhaçou-se em 2009
A luta continua, nos 90 anos do PCP
PS desafia bastonário a apontar comissões ilícitas
Menos mortos e acidentes do que no Carnaval de 2010

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Senadores republicanos dos EUA admitem "armar rebeldes" líbios
Baleou a mulher e tentou matar-se à frente da filha
Domingos diz que Braga foi a melhor equipa
"Não nos deixam ganhar", diz Luís Filipe Vieira
Famílias do Norte mais solidárias com os idosos

Capa do i i

BPN. Governo tentou esconder buraco, mas UE não aceitou
Homens da Luta. Mais um fenómeno antitudo sempre "contra a reacção"
Parque Escolar. Consumos energéticos triplicaram nas escolas requalificadas
Muitos dias tem um mês
Governo quer juízes e procuradores a trabalhar em casa e em movimento

Capa do Diário Económico Diário Económico

Ministério alvo de ataque informático "sem precedentes"
Pelo menos um país deverá deixar a zona euro
Sócrates leva a Bruxelas imagem de união com parceiros sociais
Adiamento do recurso de Portugal ao FMI agrava crise
TAP avança com aumentos nos subsídios das chefias até 76%

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Ásia negoceia em baixa com petróleo a penalizar retoma económica
Adiamento recurso de Portugal ao FMI agrava custos da crise
As notícias em foco na edição de hoje, dia 7 de Março, no Negócios
Sócrates sob alta pressão para subir idade da reforma
Portugal é dos países que permite a reforma mais cedo

Capa do Oje Oje

Fundo de 300 milhões para internacionalização já tem sete candidatos
Bolsa de Lisboa fecha a cair 0,57%
Wall Street segue em queda com o preço do petróleo a subir
Lucro da Oi cai 66% para 761 milhões em 2010
Heritage Wines factura 5,4 milhões em 2010

Capa do Destak Destak

Líder do fundo de resgate: Portugal e Espanha não precisam de ajuda
Chuva não esmoreceu 18 mil no cortejo em Ovar
Braga tomba Benfica (2-1), FC Porto pode encomendar faixas
Phil Collins termina a carreira por motivos de saúde: “ninguém vai ter saudades minhas”
JSD questiona alterações nos estágios profissionais e reclama medidas para contratação de jovens

Capa do A Bola A Bola

Em busca de nova vitória fora
Custódio vai falhar jogo com o Liverpool
«Não são só os jogadores, toda a estrutura tem de funcionar!» - Couceiro
James, agente irresistível
«O Real tem de jogar muito bem para ganhar, o Barcelona não» - José Mourinho

Capa do Record Record

Moutinho sossega Villas-Boas
Quebrar o gelo com Hulk
Três baixas com o Portimonense
Moniz Pereira: «Ao Sporting só faltam vitórias no futebol»
«Evitar mais uma bola na trave»

Capa do O Jogo O Jogo

Real Madrid: Valdano garante que Özil “vai marcar a próxima década” no clube
Luís Filipe Vieira: "Fomos constantemente empurrados"
Hugo Chapouto conquista novo título de campeão nacional
Rali México: Loeb vence após desistência de Ogier
Lakers batem Spurs