Translator

sábado, 9 de abril de 2011

A DISNEILÂNDIA E SUA REVITALIZAÇÃO NA CHINA

'Início da revitalização "da Disney
Por Changxin Gao (China Daily)
Pequeno ratinhos Mickey e Pato Donald são exibidos durante uma cerimônia para marcar o início das obras de construção da Disneylândia de Xangai, em Xangai, na China Oriental, 08 de abril de 2011.
As obras de construção do projeto de estância turística de Xangai a Disney começou a sexta-feira. O parque temático "Disneylândia de Xangai" é programado para ser concluído em cinco anos. Projetos de apoio, incluindo dois hotéis e estabelecimentos de comércio e restauração, também serão construídos a um custo, estimado, de 4,5 bilhões de yuans (US $ 670 milhões). [Foto / Xinhua]
.
Robert Iger, presidente e CEO e da Walt Disney Co, e Yu Zhengsheng (R), secretário do Partido de Xangai, seguram as pás, cerimoniais, durante a inauração do inovador parque temático "Disneylândia de Xangai Pudong", em Xangai de 08 de abril de 2011. Walt Disney Co adquiriu o terreno, no prolongamento do centro financeiro da China, na sexta-feira, apostando em novas atrações para atrair milhões de visitantes e aumentar seus lucros na região. [Foto / Agências]

HENRIQUE CALISTO – UM TREINADOR DE FUTEBOL,PORTUGUÊS, NA TAILÂNDIA

O clube de Henrique Calisto, o Muang Thong United, somou mais uma vitória, fora de casa, ao enfrentar o Marinha Real Tailandesa que venceu por 3-0.

.
Calisto, a treinar o Muang Thong United, há pouco mais de um mês, onde viria a encontrar deficiências na coordenação dos atletas em campo, tem vindo a sua equipa a progredir jogo após jogo e tudo indica que o bi-campeão, por dois anos consecutivos, da 1ª Liga de Futebol da Tailândia, irá alcançar o tri-campeão da temporada. 2010-2011. .
.
Henrique Calisto, devido ao excelente trabalho que produziu no Vietname, por vários anos, a treinar a selecção nacional de que viria a vencer o torneio ”Asean Football Federation AFF Cup 2008 Suzuki”, deu-lhe o mérito de granjear larga popularidade no Sudeste Asiático e a direcção do seu novo clube, Muang Thong optar, depois de vários percalços e pouco rendimento nos jogos disputados, por contratar, por dois anos, o treinador português.
.
O clube treinado por Henrique Calisto situa-se na classificação geral, da 1ª Liga Tailandesa, em 5ª lugar e apenas a três pontos de diferença do primeiro na tabela, o Burirama PEA
José Martins

EM DESTAQUE - DO PAU PARA TODA A OBRA

congresso do ps

Uma coisa é certa: quando se ouvem os vitorinos, césares, alegres, sócrates, costas e silvas pereiras a discursar, em Matosinhos, ficamos a saber que esse governo de malandros, ladrões e aldrabões do PSD, liderado por Passos Coelho, que nos tem desgovernado nos últimos anos, vai aprender o que é governar com patriotismo, democracia, transparência seriedade e solidariedade...

PAU COMMENTS

Dea.marques a 9 de Abril de 2011 às 16:

CAI-ME O RANHO DE RAIVA Maior descaramento não pode haver. Esta gente apalhaçada consegue fazer em simultâneo o papel de governo exemplar e oposição responsável. E a comunicação social em vez de lhe pôr a nu as aldrabices de todas as patéticas cenas, enaltece-lhe as habilidades batoteiras e a manha na candonga de tráfico do discurso. Escorrem maquilhagens nas paredes do engodo. E nas redacções dos escrevinhadores e parladores também. A preocupação dos frequentadores e obedientes do lamaçal é a descoberta minuciosa onde Passos terá metido a pata na poça. Um verdadeiro hino pestilento aos encharcados na merda.

tags:

MEDINA CARREIRA E SUAS VERDADES

Medina Carreira - Opinião Bom, dado o que está em causa é tão só o futuro dos nossos filhos e a própria sobrevivência da democracia em Portugal, não me parece exagerado perder algum tempo a desmontar a máquina de propaganda dos bandidos que se apoderaram do nosso país.
.
Já sei que alguns de vós estão fartos de ouvir falar disto e não querem saber, que sou deprimente, etc, mas é importante perceberem que o que nos vai acontecer é, sobretudo, nossa responsabilidade porque não quisemos saber durante demasiado tempo e agora estamos com um pé dentro do abismo e já não há possibilidade de escapar.
.
Estou convencido que aquilo a que assistimos nos últimos dias é uma verdadeira operação militar e um crime contra a pátria (mais um). Como sabem há muito que ando nos mercados (quantos dos analistas que dizem disparates nas TVs alguma vez estiveram nos ditos mercados?) e acompanho com especial preocupação (o meu Pai diria obsessão) a situação portuguesa há vários anos.
.
Algumas verdades inconvenientes não batem certo com a "narrativa" socialista há muito preparada e agora posta em marcha pela comunicação social como uma verdadeira operação de PsyOps, montada pelo círculo íntimo do bandido e executada pelos jornalistas e comentadores "amigos" e dependentes das prebendas do poder (quase todos infelizmente, dado o estado do "jornalismo" que temos).
.
Ora acredito que o plano de operações desta gente não deve andar muito longe disto: Narrativa: Se Portugal aprovasse o PECIV não haveria nenhum resgate. Verdade: Portugal já está ligado à máquina há mais de 1 ano (O BCE todos os dias salva a banca nacional de ter que fechar as portas dando-lhe liquidez e compra obrigações Portuguesas que mais ninguém quer - senão já teríamos taxas de juro nos 20% ou mais).
.
Ora esta situação não se podia continuar a arrastar, como é óbvio. Portugal tem que fazer o rollover de muitos milhares de milhões em dívida já daqui a umas semanas só para poder pagar salários! Sócrates sabe perfeitamente que isso é impossível e que estávamos no fim da corda.O resto é calculismo político e teatro. Como sempre fez.
.
Narrativa: Sócrates estava a defender Portugal e com ele não entrava cá o FMI. Verdade: Portugal é que tem de se defender deste criminoso louco que levou o país para a ruína (há muito antecipada como todos sabem). A diabolização do FMI é mais uma táctica dos spin doctors de Sócrates.
.
O FMI fará sempre parte de qualquer resgate, seja o do mecanismo do EFSF (que é o que está em vigor e foi usado pela Irlanda e pela Grécia), seja o do ESM (que está ainda em discussão entre os 27 e não se sabe quando, nem se, nem como irá ser aprovado).
.
Narrativa: Estava tudo a correr tão bem e Portugal estava fora de perigo mas vieram estes "irresponsáveis" estragar tudo. Verdade: Perguntem aos contabilistas do BCE e da Comissão que cá estiveram a ver as contas quanto é que é o real buraco nas contas do Estado e vão cair para o lado (a seu tempo isto tudo se saberá). Alguém sinceramente fica surpreendido por descobrir que as finanças públicas estão todas marteladas e que os papéis que os socráticos enviam para Bruxelas para mostrar que são bons alunos não têm credibilidade nenhuma? . E acham que lá em Bruxelas são todos parvos e não começam a desconfiar de tanto oásis em Portugal?
.
Recordo que uma das razões pela qual a Grécia não contou com muita solidariedade alemã foi por ter martelado as contas sistematicamente, minando toda a confiança. Acham que a Goldman Sachs só fez swaps contabilísticos com Atenas? E todos sabemos que o engº relativo é um tipo rigoroso, estudioso e duma ética e honestidade à prova de bala, certo?
.
Narrativa: Os mercados castigaram Portugal devido à crise política desencadeada pela oposição. Agora, com muita pena do incansável patriota Sócrates, vem aí o resgate que seria desnecessário.
.
Verdade: É óbvio que os mercados não gostaram de ver o PEC chumbado (e que não tinha que ser votado, muito menos agora, mas isso leva-nos a outro ponto), mas o que eles querem saber é se a oposição vai ou não cumprir as metas acordadas à socapa por Sócrates em Bruxelas (deliberadamente feito como se fosse uma operação secreta porque esse aspecto era peça essencial da sua encenação).E já todos cá dentro e lá fora sabem que o PSD e CDS vão viabilizar as medidas de austeridade e muito mais.
.
É impressionante como a máquina do governo conseguiu passar a mensagem lá para fora que a oposição não aceitava mais austeridade. Essa desinformação deliberada é que prejudica o país lá fora porque cria inquietação artificial sobre as metas da austeridade. Mesmo assim os mercados não tiveram nenhuma reacção intempestiva porque o que os preocupa é apenas as metas. Mais nada.

.

O resto é folclore para consumo interno. E, tal como a queda do governo e o resgate iminente não foram surpresa para mim, também não o foram para os mercados, que já contavam com isto há muito (basta ver um gráfico dos CDS sobre Portugal nos últimos 2 anos, e especialmente nos últimos meses).
.
Porque é que os media não dizem que a bolsa lisboeta subiu mais de 1% no dia a seguir à queda?
.
Simples, porque não convém para a narrativa que querem vender ao nosso povo facilmente manipulável (julgam eles depois de 6 anos a fazê-lo impunemente). Bom, há sempre mais pontos da narrativa para desmascarar mas não sei se isto é útil para alguém ou se é já óbvio para todos.
.
E como é 6ª feira e estou a ficar irritado só a escrever sobre este assunto termino por aqui. Se quiserem que eu vá escrevendo mais digam, porque isto dá muito trabalho.
.
Henrique Medina Carreira.

GERAÇÃO RASCA? VÃO TRABALHAR QUE ISSO PASSA...!!!

Este texto não é meu.... encontrei-o num blog... estamos todos a precisar de ler isto
A geração dos meus pais não foi uma geração à rasca. Foi uma geração com capacidade para se desenrascar.
Numa terriola do Minho as condições de vida não eram as melhores.
Mas o meu pai António não ficou de braços cruzados à espera do Estado ou de quem quer que fosse para se desenrascar.
Veio para Lisboa, aos 14 anos, onde um seu irmão, um pouco mais velho, o Artur, já se encontrava. Mais tarde veio o Joaquim, o irmão mais novo. Apenas sabendo tratar da terra e do pastoreio, perdidos na grande e desconhecida Lisboa, lançaram-se à vida.
Porque recusaram ser uma geração à rasca fizeram uma coisa muito simples. Foram trabalhar. Não havia condições para fazerem o que sabiam e gostavam. Não ficaram à espera. Foram taberneiros.
Foram carvoeiros. Fizeram milhares de bolas de carvão e serviram milhares de copos de vinho ao balcão. Foram simples empregados de tasca. Mas pouparam. E quando surgiu a oportunidade estabeleceram-se como comerciantes no ramo.
Cada um à sua maneira foram-se desenrascando. Porque sempre assumiram as suas vidas pelas suas próprias mãos. Porque sempre acreditaram neles próprios. E nós, eu e os meus primos, nunca passámos por necessidades básicas.
Nós, eu e os meus primos, sempre tivémos a possibilidade de acesso ao ensino e à formação como ferramentas para o futuro. Uns aproveitaram melhor, outros nem tanto, mas todos tiveram as condições que necessitaram.
E é este o exemplo de vida que, ainda hoje, com 60 anos, me norteia e me conduz. Salvaguardadas as diferenças dos tempos mantenho este espírito. Não preciso das ajudas do Estado. Porque o meu pai e tios também não precisaram e desenrascaram-se.
Não preciso das ajudas da família que também têm as suas próprias vidas. Não preciso das ajudas dos vizinhos e amigos. Porque o meu pai e tios também não precisaram e desenrascaram-se. Preciso de mim. Só de mim.
E, por isso, não sou, nunca fui, de qualquer geração à rasca. Porque me desenrasco. Porque sempre me desenrasquei. O mal desta auto-intitulada geração à rasca é a incapacidade que revelam. Habituados, mal habituados, a terem tudo de mão beijada.
Habituados, mal habituados, a não precisarem de lutar por nada porque tudo lhes foi sendo oferecido. Habituados, mal habituados, a pensarem que lhes bastaria um canudo de um qualquer curso dito superior para terem garantida a eterna e fácil prosperidade.

Sentem-se desiludidos. E a culpa desta desilusão é dos "papás" que os convenceram que a vida é um mar de rosas. Mas não é. É altura de aprenderem a ser humildes. É altura de fazerem opções.
Podem ser "encanudados" de qualquer curso mas não encontram emprego "digno". Podem ser "encanudados" de qualquer curso mas não conseguem ganhar o dinheiro que possa sustentar, de imediato, a vida que os acostumaram a pensar ser facilmente conseguida.
Experimentem dar tempo ao tempo, e entretanto, deitem a mão a qualquer coisa. Mexam-se. Trabalhem. Ganhem dinheiro. Na loja do Shopping.
Porque não ? Aaaahhh porque é Doutor... Doutor em loja de Shopping não dá status social.
Pois não. Mas dá algum dinheiro. E logo chegará o tempo em que irão encontrar o tal e ambicionado emprego "digno".
O tal que dá status. O meu pai e tios fizeram bolas de carvão e venderam copos de vinho.
Eu, que sou Informático, System Engineer, em alturas de aperto, vendi bolos, calças de ganga, trabalhei em cafés, etc.
E garanto-vos que sou hoje muito melhor e mais reconhecido socialmente do que se sempre tivesse tido a papinha toda feita.
Geração à rasca ?
Vão trabalhar que isso passa.

AI QUE CHEGAMOS...!!! "UM COMPROMISSO NACIONAL"

O resgate de Portugal "Um Compromisso Nacional" recolhe apoios de peso Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio são algumas das mais de 40 figuras públicas portuguesas que assinam o documento "Um Compromisso Nacional", que o Expresso publica em exclusivo. Clique para visitar o dossiê O resgate de Portugal
4:00 Sábado, 9 de abril de 2011 Última atualização há 43 minutos Ex-Presidentes da República Jorge Sampaio, Mário Soares e Ramalho Eanes subscreveram o texto que pede um compromisso nacional Alberto Frias
.
1 Portugal está a viver uma das mais sérias crises da sua história recente. Essa crise tem uma dimensão financeira e económica, que se reflete no défice orçamental, no desequilíbrio externo, no elevado grau de endividamento público e privado e nos baixos índices de competitividade e crescimento da economia, com grave impacto no desemprego, em especial nas gerações mais novas; mas tem igualmente uma dimensão política e social grave, que se exprime numa crescente dificuldade no funcionamento do Estado e do sistema de representação política e em preocupantes sinais de enfraquecimento da coesão da sociedade e das suas expectativas.
.
2 A crise financeira e económica mundial que se iniciou em 2007,com origem nos Estados Unidos, gerou em 2009 a maior recessão global dos últimos 80 anos e transformou-se, mais tarde, na chamada crise da dívida soberana, que abriu no seio da União Europeia um importante processo de ajustamento político e institucional, afetando de modo especialmente negativo alguns dos Estados membros mais vulneráveis, entre os quais, agora, Portugal.
.
3 Nesta situação de grande dificuldade, em que persistentes problemas internos foram seriamente agravados por uma conjuntura internacional excecionalmente crítica, os signatários sentem-se no dever de exprimir a sua opinião sobre algumas das condições que consideram indispensáveis para ultrapassar a crise, num momento em que a dificuldade de diálogo entre os dirigentes políticos nacionais e a crescente crispação do debate público, nas vésperas de uma campanha eleitoral, ameaçam minar perigosamente a definição de soluções consistentes para os problemas nacionais.
.
4 Essas condições envolvem dois compromissos fundamentais:
.
a) em primeiro lugar, um compromisso entre o Presidente da República, o Governo e os principais partidos, para garantir a capacidade de execução de um plano de ação imediato, que permita assegurar a credibilidade externa e o regular financiamento da economia, evitando perturbações adicionais numa campanha eleitoral que deve contribuir para uma escolha serena, livre e informada; este compromisso imediato deve permitir que o Governo possa assumir plenamente as suas responsabilidades para assegurar o bem público e assumir inadiáveis compromissos externos em nome do Estado.
.
b) em segundo lugar, um compromisso entre os principais partidos, com o apoio do Presidente da República, no sentido de assegurar que o próximo Governo será suportado por uma maioria inequívoca, indispensável na construção do consenso mínimo para responder à crise sem a perturbação e incerteza de um processo de negociação permanente, como tem acontecido no passado recente; numa perspetiva de curto prazo, esse consenso mínimo deverá formar-se sobre o processo de consolidação orçamental e a trajetória de ajustamento para os próximos três anos prevista na última versão do Programa de Estabilidade e Crescimento; e, numa perspetiva de médio/longo prazo, sobre as seguintes grandes questões nacionais, relacionadas com a adaptação estrutural exigida à economia e à sociedade: a governabilidade, o controlo da dívida externa, a criação de emprego, a melhor distribuição da riqueza, as orientações fundamentais do investimento público, a configuração e sustentabilidade do Estado Social e a organização dos sistemas de Justiça, Educação e Saúde.
.
5 As próximas eleições gerais exigem um clima de tranquilidade e um nível de informação objetiva sobre a realidade nacional que não estão neste momento asseguradas. A afirmação destes compromissos, a partir de um esforço conjunto dos principais responsáveis políticos, ajudará seguramente a construir uma solução governativa estável, que constitui a primeira premissa para que os Portugueses possam encontrar uma razão de ser nos sacrifícios presentes e encarar com esperança o próximo futuro.
.
Mais de 40 signatários Adriano Moreira
Alexandre Soares dos Santos
Álvaro Siza Vieira
António Barreto
António Gomes de Pinho
António Lobo Antunes
António Lobo Xavier
António Nóvoa António Ramalho Eanes
António Rendas
António Vitorino
Artur Santos Silva Belmiro de Azevedo
Boaventura Sousa Santos
Daniel Proença de Carvalho
Diogo Freitas do Amaral
Eduardo Lourenço
Eduardo Souto Moura
Emílio Rui Vilar
Fernando Seabra Santos
Francisco Pinto Balsemão
Isabel Rodrigues Lopes
João Gabriel Silva
João Lobo Antunes
Joaquim Gomes Canotilho
Jorge Sampaio
José Carlos Marques dos Santos
José Carlos Vasconcelos
José Pacheco Pereira
José Pena do Amaral
José Silva Lopes
Júlio Pomar Júlio Resende
Leonor Beleza
Luís Portel
Manoel de Oliveira
Manuel Braga da Cruz
D. Manuel Clemente
Manuel Sobrinho Simões
Maria de Sousa
Maria Fernanda Mota Pinto
Maria João Rodrigues
Mário Soares
Miguel Veiga
Rui Alarcão
Teresa de Sousa

BARACK OBAMA E SUA LIÇÃO DE HISTÓRIA

(a história original)

Repassando para alguns amigos, voltado para os Advogados.

PEDIDO DE EMPRÉSTIMO BANCÁRIO

Um advogado de nome Barack Hussein Obama II, na época, 1995, líder comunitário, membro fundador da mesa diretora da organização sem fins lucrativos Public Allies, membro da mesa diretora da fundaçãofilantrópica Woods Fund of Chicago, advogado na defesa de direitos civis e professor de direito constitucional na escola de direito da Universidade de Chicago, Estado de Illinois (e atual presidente dos Estados Unidos da América) numa certa ocasião pediu um empréstimo em nome de um cliente que perdera sua casa num furacão e queria reconstruí-la.

Foi-lhe comunicado que o empréstimo seria concedido logo que ele pudesse apresentar o título de propriedade original da parcela da propriedade que estava a ser oferecida como garantia.

O advogado Obama levou três meses para seguir a pista do título de propriedade datado de 1803. Depois de enviar as informações para o Banco, recebeu a seguinteresposta:

"Após a análise do seu pedido de empréstimo, notamos que foi apresentada uma certidão do registro predial.

Cumpre-nos elogiar a forma minuciosa do pedido, mas é precisosalientar que o senhor tem apenas o título de propriedade desde 1803. Para que a solicitação seja aprovada, será necessário apresentá-locom o registro anterior a essa data."

Irritado, o advogado Obama respondeu da seguinte forma:

"Recebemos a vossa carta respeitante ao processo nº.189156.Verificamos que os senhores desejam que seja apresentado o título depropriedade para além dos 194 anos abrangidos pelo presente registro. De fato, desconhecíamos que qualquer pessoa que fez a escolaridadeneste país, particularmente aqueles que trabalham na área dapropriedade, não soubesse que a Luisiana foi comprada, pelos EUA àFrança, em 1803.

Para esclarecimento dos desinformados burocratas desse Banco,informamos que o título da terra da Luisiana, antes dos EUA terem asua propriedade, foi obtido a partir da França, que a tinha adquirido por direito de conquista da Espanha. A terra entrou na posse da Espanha por direito de descoberta feita noano 1492 por um navegador e explorador dos mares chamado Cristóvão Colombo, casado com dona Filipa, filha de um navegador de nome Perestrelo.

Este Colombo era pessoa respeitada por reis e papas e até ousoaconselhar-vos a ler sua biografia para avaliar a seriedade de seus feitos e intenções. Esse homem parece ter nascido em 1451 em Gênova, uma cidade que naquela época era governada por mercadores e banqueiros, conquistada por Napoleão Bonaparte em1797 e atualmente parte da Região da Ligúria, República Italiana. À ele, Colombo, havia sido concedido o privilégio de procurar uma nova rota para a Índia pela rainha Isabel de Espanha.

A boa rainha Isabel, sendo uma mulher piedosa e quase tão cautelosacom os títulos de propriedade como o vosso Banco, tomou a precaução de garantir a bênção do Papa, ao mesmo tempo em que vendia as suas jóias para financiar a expedição de Colombo. Presentemente, o Papa – isso, temos a certeza de que os senhores sabem - é o emissário de Jesus Cristo, o Filho de Deus, e Deus - é comumente aceito - criou este mundo a partir do nada com as palavrasDivinas: Fiat lux que significa "Faça-se a luz", em língua latina.

Portanto, creio que é seguro presumir que Deus também foi possuidor da região chamada Luisiana por que antes, nada havia. Deus, portanto, seria o primitivo proprietário e as suas origens remontam a antes do início dos tempos, tanto quanto sabemos e o Banco também.

Esperamos que, para vossa inteira satisfação, os senhores consigamencontrar o pedido de crédito original feito por Deus. Senhores, se perdurar algumas dúvidas quanto a origem e feitos do descobridor destas terras, posso adiantar-lhes que desta dúvida,certeza mesmo, só Deus a terá por que Inúmeros historiadores e investigadores, concluíram baseados em documentos que, Cristóvão Colombo, nasceu em Cuba (Portugal) e, não em Gênova (Itália), comoestá oficializado:

Segundo eles, em primeiro lugar, Christovam Colon, foi o nome que Salvador Gonçalves Zarco, escolheu para persuadir os Reis Católicos de Espanha, a financiar-lhe a viagem à Rota das Índias, pelo Ocidente, escondendo assim a sua verdadeira identidade. Segundo, este pseudônimo não aparece por acaso, porque Cristóvão está associado a São Cristóvão, que é o protetor dos Viajantes (existe inclusive uma ilha batizada de São Cristóvão).

Cristóvão, que também deriva de Cristo, que propaga a fé, por onde anda, acresce que Cristo, está associado a Salvador (1º nomeverdadeiro do ilustre navegador).Colon, porque é a abreviatura de colono e derivado do símbolo das suas assinaturas"." ( Duas aspas, com dois pontos no meio). Terceiro, Salvador Gonçalves Zarco, está devidamente comprovado,nasceu em Cuba ( Portugal) e, é filho ilegítimo do Duque de Beja e de Isabel Gonçalves Zarco.

Quarto, era prática usual na época, os navegadores darem àsprimeiras terras descobertas, nomes religiosos, no caso dele, foi São Salvador (Bahamas), por coincidência ou talvez não, deriva do seu primeiro nome verdadeiro, a segunda batizou de Cuba (Terra Natal) e,seguidamente Hispaniola (Haiti e República Dominicana), porque estava ao serviço da Coroa Espanhola. Quinto, a "paixão" pelos mares, estava no sangue da família Zarco, nomeadamente em, João Gonçalves Zarco, descobridor de PortoSanto (1418), com Tristão Vaz Teixeira e da Ilha da Madeira (1419), com o sogro de "Christovam Colon", Bartolomeu Perestrelo.

Por fim, em sexto, existem ilhas nas Caraíbas, com referência a Cuba (além da mencionada Cuba; São Vicente, na época existia a Capela de São Vicente, da então aldeia de Cuba). Posteriormente (Sec-XVI), foi edificada a atual Igreja Matriz de São Vicente. São coincidências (pseudônimo, nome das ilhas, família nobre e ligada ao mar, habitou e casou em Porto Santo, ilha que fica na Rota das Índias pelo Ocidente), mais do que suficientes, para estarmos empresença de Salvador Gonçalves Zarco e, conseqüentemente do português Christovam Colon. Christovam Colon, morreu em Valladolid (Espanha) em 1506, tendo os seus ossos sido transladados, para Sevilha em 1509, contudo em 1544, foram para a Catedral de São Domingos, na época colôniaespanhola, satisfazendo a pretensão testamental do prestigiado navegador.


A odisséia das ossadas não ficaria por aqui, porque em 1795, os espanhóis tiveram de deixar São Domingos, tendo os ossos sidotransferidos para Cuba (Havana), para em 1898, depois da independência daquela ilha, sido depositados na Catedral de Sevilha.Coincidência ou não, em 1877, os dominicanos, ao reconstruírem aCatedral de São Domingos, encontraram um pequeno túmulo, com ossos e intitulado “Almirante Christovam Colon".


Existem na Ilha da Madeira e nos Açores, pessoas da famílias Zarco,descendentes diretos de João Gonçalves Zarco e, conseqüentementeda mãe (Isabel Gonçalves Zarco) de Christovam Colon, disponíveis para darem uma amostra do seu cabelo aos cientistas, para analisar oseu DNA e, para comparar os seus resultados nas ossadas do navegador, se, efetivamente forem as pretensões deste Banco para certificar-se da origem do navegador.

Quanto a Deus, ainda não tenho sua biografia, somente sei que caso aconseguisse, até o maior e mais potente computador do planeta nãoseria suficiente para comportar um resumo do resumo da mesma, por isso sugiro-vos educadamente e após muito pensar, que, por serembanqueiros e, portanto poderosos, tentem por vossos meios.Agora, que está tudo esclarecido, será que podemos ter o nosso empréstimo? "

Barack Hussein Obama II

Advogado

*O empréstimo, claro, foi concedido

SÓCRATES: O SAMARREIRO DOS PORTUGUESES

Portugueses, cordeirinhos, têm estado sob o fio da navalha do samarreiro Sócrates que vos esfolou o couro e o cabelo.
.
O filho da mãe, ainda ontem, no congresso de seu partido onde esteve toda a canalhada, reunida, que o compões afirmou, em voz alta e a pés juntos que pretende ser mais uma vez primeiro ministro e com a maioria.
.
Bem os portugueses estão f********os e baldridos pela sua má governação e da "capangada"que o tem rodeado. O filho da mãe, um vigarista de baixo calibre com a sua arrogância está a fazer pouco de todos nós.
.
Ora esse "sujo" não tem lugar na sociedade portuguesa, tão pouco o "grupelho" de oportunistas que o têm rodeado. Não o vamos, claro está, pulverizar com insecticida para o eliminar como a uma mosca, mas deveremos dar-lhe o desprezo e acabar esse "merdas" abandonado nas esquinas e a fugir dos a que tanto mal haja feito. Tempos difíceis, no futuro, nos aguardam a todos nós

AS SUAS NOTÍCIAS DO DIA 9.4.11

Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã Ex-secretário de Estado diz que "a Justiça piorou" Jackpot no Euromilhões Agualva: Incêndio em restaurante fere quatro FC Porto critica boa nota para Duarte Gomes Manuel Alegre vai integrar Comissão Política do PS
Capa do Público Público Australiano David Rowe vence World Press Cartoon 2011 Euromilhões: "Jackpot" de 29 milhões de euros na próxima semana Miguel Relvas acusa José Sócrates de ter feito discurso de "desespero" Empate adia futuro europeu das equipas madeirenses Reportagem: “Nunca tivemos nada assim no Brasil”
Capa do Diário de NotíciasDiário de Notícias Sócrates ataca Passos e poupa Portas A necessidade de um novo discurso O gladiador Gama recusou presidir ao PS Já nem tentam convencer-nos
Capa do Jornal de NotíciasJornal de Notícias Ataque israelita mata 3 militantes do Hamas em Gaza Totonegócio: Um imbróglio que se arrasta há 15 anos Tropas de Gbagbo ganham terreno em Abidjan Australiano David Rowe vence World Press Cartoon 2011 Finanças vão pedir o pagamento de 13 dos 32 milhões de euros de dívidas fiscais do Totonegócio
Capa do i i Ajuda externa. Bruxelas quer governo a liderar negociações Procuradores do Freeport vão recorrer de qualquer sanção Guardas nocturnos. Lei na gaveta já permite o uso e porte de arma Ferro Rodrigues convidado a liderar lista do PS para Lisboa Assistência financeira. Europa exige mais cortes e privatizações
Capa do Diário EconómicoDiário Económico Sócrates apela ao voto útil da esquerda para combater agenda liberal Combinação vencedora do Euromilhões "O cargo de presidente do PSD devia ser rotativo" FMI já recebeu pedido de assistência financeira Miguel Relvas: "Sócrates é o problema"

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios "Não vão ser favas contadas para o nosso adversário" Sócrates denuncia "aventura leviana" de privatizar CGD José Sócrates: "Não tenho medo das eleições" Tudo a postos para por em curso pedido de ajuda a Portugal José Sócrates: Governo levará PEC IV para a negociação da ajuda externa
Capa do A BolaA Bola Um mistério chamado Sassá O «mestrado» de Villas Boas Inscrições esgotadas «Espero que tudo corra bem neste novo projecto» – Matías Fernández Renovação de Maxi «presa» por compra do restante passe
Capa do Record Record Na frente por Alex Silva e Bobô Wendt em fase de conclusão Águias atacam Santiago Garcia Manuel Fernandes: «Acabei como treinador e só quero ser útil ao meu clube» Dinheiro ou nada
Capa do O JogoO Jogo "Derby" do Funchal resulta em igualdade Benfica considera castigo de Jorge Jesus “injusto” Godinho Lopes quer jogadores a “sentirem-se em casa” FC Porto renova contrato de direitos de TV e encaixa 82,8 milhões José Couceiro: Até Junho temos de construir uma equipa