Translator

quinta-feira, 12 de abril de 2012

GUNÉ BISSAU: "NÃ HÁ FORMA DAQUELA ´GAJADA´ SE ACOMODAR"



Tentativa de golpe na Guiné-Bissau

    
Publicado em: 13/04/2012 às 08:35 AM
    
Notícias on-line:

Guiné-Bissau tropas fizeram uma tentativa de golpe, atacando a residência do primeiro-ministro, prendendo políticos e assumiu o controlo da sede do partido governante e a estação de rádio nacional.
.
Tiros e granadas lançadas por foguetes foram disparados nas ruas escuras da capital da ex-colónia portuguesa, que está no meio de uma disputada de eleição presidencial, amarga, depois de duas voltas.
.
Os soldados atacaram a residência do vencedor do primeiro turno, o primeiro-ministro cessante Carlos Gomes Júnior, cujo paradeiro era desconhecido.
.
"Ele foi atacado com granadas e fomos forçados a recuar", disse um policia que guardava o edifício. Ele disse Gomes tinha estado lá antes, mas não podia dar a sua localização actual.
.
Uma fonte militar disse à AFP: "Nós estamos procurando ativamente Carlos Gomes Júnior independentemente de onde ele está escondido, vamos encontrá-lo antes do amanhecer.".
.
Várias figuras políticas foram "presas" na capital e levadas para o quartel do exército de Amura, perto da costa, uma fonte militar disse.
"Temos muitos funcionários presos políticos", o oficial disse à AFP sob condição de anonimato.
.
"Eles estão conosco na fortaleza Amura, a sede", acrescentou, sem revelar a identidade de qualquer dos apreendidos.
.
O Ocidente bloco Africano CEDEAO rapidamente condenou a tentativa de golpe, Costa do Marfim ministro das Relações Exteriores Daniel Kablan Duncan anunciou em Abidjan.
.
"Nós recebemos algumas informações difícil de Guiné-Bissau, e essa informação nos indica que há um golpe em andamento", disse o ministro a repórteres após uma reunião do grupo de 15 nações regionais no Mali.
.
"A CEDEAO condena formalmente e rigorosamente como uma tentativa de golpe de Estado", acrescentou.
.

No terreno, sirenes de ambulâncias foram ouvidas em Bissau, que foi mergulhado na escuridão como a eletricidade foi cortada, enquanto os civis ficaram fora das ruas.
.
Soldados cedo assumiram o controle da sede do partido no poder, onde pelo menos 20 soldados foram mobilizados, e da estação de rádio nacional, que deixou de emissões, tal como fez a televisão estatal.
.

Tropas também formaram um cordão em torno do palácio presidencial, eo destino do Chefe de Estado interino Raimundo Pereira não foi imediatamente conhecido.
.
A violência que se temia por dias no período eleitoral no país empobrecido, que tem um histórico de violência política e é conhecida como um importante pólo de tráfico de drogas entre a América do Sul e Europa.
 
.
Oposição da Guiné-Bissau - liderada pelo segundo colocado, Kumba Yala, um ex-presidente que afirma que o primeiro turno foi fraudada - pediram um boicote do 29 de abril voto run-off, e advertiu contra a campanha.
.
Os cinco principais candidatos da oposição, incluindo Yala disse em uma conferência de imprensa conjunta quinta-feira que o boicote seria em nome da "justiça".
.
"Quem se atreve a campanha será responsável pelo que acontece", alertou Yala, sem dar detalhes.
.
Ele anteriormente denunciou "fraude maciça" no primeiro turno em 18 de março e salientou: "Eu já disse e repeti-lo:. Eu não quero uma segunda volta"
.
Gomes obteve 48,9 por cento dos votos em 18 de março e Yala 23,26 por cento. A campanha eleitoral para a segunda fase deveria começar na sexta-feira e termina 27 de abril.
.
Desde a conquista da independência através da luta armada em 1974, o exército da Guiné-Bissau e estaduais mantiveram-se em conflito constante e muitas vezes mortal, com o resultado que nenhum presidente jamais completado o mandato no cargo.
.
Três foram derrubados e um foi assassinado no cargo em 2009.
.
A última eleição foi realizada após o último presidente, Malam Bacai Sanha, morreu em janeiro, após uma longa doença.
.
O Conselho de Segurança das Nações Unidas no sábado passado pediu Guiné-Bissau candidatos e eleitores para "exercitar contenção" à frente da corrida à presidência-off.
.
O conselho de 15 membros pediu aos líderes políticos do país para "resolver os seus diferendos, em conformidade com o quadro constitucional".
.
Eles ressaltaram a importância das eleições bem-sucedidas para progredir na construção da paz prioridades, incluindo a desmobilização de tropas e policiais, o combate ao tráfico de drogas e promover a reconciliação nacional.
Fonte The Nation/AFP

4 ALMAS: ZONA LARANJA

Por Morgada de V

Há uns anos, quando os americanos ocuparam o Iraque, refugiaram-se no palácio do antigo ditador, um enclave luxuoso com piscinas e centros comerciais que ficaria conhecido por “Zona Verde”. Mal ali chegaram, no afã habitual que os caracteriza, funcionários inexperientes nomeados por Bush trataram de traçar, no sossego do computador, soluções burocráticas para o país. Um deles, chamado James K. Haveman (qualquer semelhança com “Caveman” é uma deliciosa coincidência fonética), a quem alguém ainda mais tonto do que ele entregou a pasta da Saúde, decide que aquilo de que o Iraque precisa é de uma campanha anti-tabaco. Nas ruas de Bagdad vai uma guerra mortífera; nos hospitais, cortes de energia matam bebés em incubadoras. Não há analgésicos nem medicamentos. Mas para o funcionário americano, o problema, claro, é o tabaco.

Vem tudo contado no excelente “Vida Imperial na Cidade Esmeralda”, do jornalista Rajiv Chandrasekaran:

Haveman arrived in Iraq with his own priorities. (…). He urged the Health Ministry to mount an anti-smoking campaign, and he assigned an American from the CPA [Coalition Provisional Authority] team — who turned out to be a closet smoker himself — to lead the public education effort. Several members of Haveman’s staff noted wryly that Iraqis faced far greater dangers in their daily lives than tobacco. The CPA’s limited resources, they argued, would be better used raising awareness about how to prevent childhood diarrhea and other fatal maladies.

Quando li isto, há uns anos, não consegui afastar a imagem de um iraquiano barbudo a fumar para cima dos posters sanitários do ocupante: “Smoking kills”. Barbudo, a fumar e a rir: é assim que eu gosto de imaginar o meu iraquiano — embora reconheça que o humor, essa válvula de escape, também tem os seus limites.

Fast forward para o presente: Portugal, 2012. A Troika ocupou o país. Aconselhado pelos burocratas da Comissão Europeia e do FMI, o ministro da Saúde fecha hospitais e maternidades. Relatos na imprensa dão conta de gente a morrer com cancro por não conseguir pagar os tratamentos. O povo deixa de ter dinheiro para as urgências. Estar de baixa passa a ser um luxo reservado a doentes ricos. Comer também: criancinhas vão para a escola sem terem jantado, e pequeno-almoço, viste-lo. Mas o Governo está atento à saúde dos menores: vai proibir os paizinhos de fumar no carro, e exigir além disso a colocação de “advertências mais explícitas nas embalagens que mostrem e exemplifiquem as consequências do tabagismo na saúde”, Paulo Macedo dixit. Não sei o que é que este ministro anda a fumar, mas deve ser MUITO fixe.

O TRATADO ORÇAMENTAL DA UE SERVE PORTUGAL UMA "PORRA"!!!

Passos diz que Tratado Orçamental serve os interesses de Portugal

legenda da imagem
Mário Cruz/ Lusa


Passos diz que Tratado Orçamental serve os interesses de Portugal


Passos Coelho, considerou que a ratificação do Tratado Orçamental da UE deve vir de um consenso em torno das políticas europeias, em função dos objetivos nacionais, e não por imposição vinda do exterior. No debate que antecede a votação do tratado na Assembleia da República, o primeiro-ministro defendeu a consagração na legislação nacional da chamada “regra de ouro”, que limita o endividamento e o défice, dizendo que a mesma é “realista” e não é de esquerda nem de direita.

.

P.S. - Cada vez mais seremos escravos da União Europeia e jamais conseguimos a nossa autodeterminação. O exemplo está à vista... e tutorizados.

4 ALMAS: A CULPA Ó DO SÓCRATES

.
Para derrubar Sócrates e abocanhar o poder, toda a gente sabe que Passos Coelho recorreu à mais descarada mentira. 
.
E ao ataque constante a Sócrates, com a acusação de que a penúria nacional, o descalabro das finanças, se devia a ele e só a ele, nada tinha a ver com circunstâncias internacionais, com a gula dos mercados, com o desregulamento das instituições financeiras, com o neoliberalismo reinante, com o capitalismo na sua pior faceta. 
.
Não. Nada disso. A culpa era todinha do Sócrates, gastador e, se não o diziam directamente arranjavam alguém que fizesse o trabalho de sapa por eles, corrupto.
.
Agora, Sócrates continua a ser culpado da situação do país e dos sacrifícios pedidos (que lindo eufemismo!) aos portugueses. Por tudo e por nada, eis que se invoca o seu nome. 
.
Destrói-se a saúde? Não há dinheiro, a culpa é do Sócrates. Roubam-se as reformas? Não há dinheiro, a culpa é do Sócrates. Fragiliza-se o Estado Social, privatiza-se por tuta-e-meia, despede-se mais depressa e mais barato? Não há dinheiro, a culpa é do Sócrates.
.
Ah! O governo está a fazer tudo por tudo para repor o que Sócrates destruiu. Mas tudo depende das circunstâncias internacionais. 
.
O que não era válido há um ano, a crise internacional, é agora invocada a torto e a direito para desculpar o governo caso ele falhe. E vai falhar, claro. E arrastar-nos consigo para o esgoto onde, cada vez mais, se atola.

Não sou defensor de Sócrates, nem agora nem nunca. Mas, quando se escrever a História destes anos, ela não vai ser bonita de se ler. E a culpa não será do Sócrates. Os esquemas sórdidos pela conquista do poder e o orgulhoso empobrecimento dos portugueses não foram obra de Sócrates.

KAOS: UM ABORTO LARANJA




A inseminação artificial segundo Passos Coelho
Passos Coelho descobriu um destino a dar aos serviços públicos de excelência, divide-os em bocados pequenos e usa estes para os inocular nos outros serviços que apresentem problemas de qualidade, isto é, usa-os num processo de inseminação artificial com vista à sua clonagem.
Esta é a teoria do Passos Coelho que entende que os portugueses são idiotas, a realidade é outra, ao desmembrar os serviços de excelência está a destruí-los e a promover a competitividade dos serviços privados. Ao encerrar a Maternidade Alfredo da Costa o governo está a promover o negócio das maternidades privadas que em tempos já floresceu em Lisboa. Só que a partir de determinada altura a classe média e os mais endinheirados percebeu que era melhor esquecer a criadagem dos hospitais privados e apostar na qualidade dos públicos, o negócio privado caiu.
Um serviço público de excelência não tem boas equipas por coincidência, é o resultado de um processo que demora anos, a qualidade atrai profissionais de qualidade mesmo quando a remuneração não é estimulante, as equipas de qualidade criam condições para investigar e promover novas técnicas e o uso de novas tecnologias. Ao distribuir as equipas da MAC o governo não está a destruir excelência, está a destruir o ambiente que favoreceu essa excelência e está a criar condições para que os hospitais privados contratem os excelentes médicos da MAC que não vão querer servir para "inseminação".
O que Passos Coelho pretende não é melhorar o SNS ou poupar dinheiro, é destruir a concorrência que um serviço público de excelência faz ao sector privado, é isso que o irmão Macedo pretende, conseguir como ministro o que não conseguiu como gestor da MEDIS; assegurar que o sector privado passa a ser competitivo e ter uma grande fonte de receitas num sector onde ficou sem clientela, a maternidade.
Texto "roubado" ao blog "O Jumento"
0 Opiniões

DO BLOGUE CANTIGUEIRO

José António Saraiva - A ciência é uma coisa fantástica!


(José António Saraiva, in “Sol”)
Não se pode deixar de ficar esmagado perante o brilho literário e, sobretudo, o rigor científico deste verdadeiro tratado de “sexo-antropologia”, em boa hora parido pelas meninges do genial director do “Sol”.
Não consegui uma fotografia que testemunhasse este bonito momento de descoberta vivido por José António Saraiva, dentro do elevador... nem sequer uma que mostrasse o modo de poisar os pés no chão. Daí ter-me ficado pela pesquisa do "cruzar de mãos e ligeira inclinação da cabeça".
Não faltavam exemplos por onde escolher. Na verdade, acabei por utilizar a primeira fotografia que veio à mão.
A “ciência” é uma coisa fantástica!!! Parafraseando Einstein, é quase tão infinita quanto a estupidez!

E ASSIM TODOS OS ARGUIDOS SÃO INOCENTES E O CASO EM ÁGUAS DE BACALHAU...

Absolvidos todos os arguidos do caso Portucale


Absolvidos todos os arguidos do caso Portucale
legenda da imagem
José Sena Goulão, Lusa

Foram hoje absolvidos todos os 11 arguidos do caso Portucale, ligado ao abate de sobreiros para a construção de um empreendimento imobiliário e turístico em Benavente. A leitura do acórdão decorreu nas Varas Criminais de Lisboa.

A leitura do acórdão já tinha sofrido quatro adiamentos. O primeiro ocorreu a 21 de dezembro de 2011, para permitir à defesa contestar as alterações que o coletivo de juízes, presidido por Laura Maurício, decidiu introduzir aos factos levados a julgamento, o segundo a 26 de janeiro, depois de o arguido José Manuel de Sousa ter requerido prova, o terceiro adiamento foi conhecido a 23 de fevereiro e o último a 28 de março.

O caso Portucale tinha como principal arguido o ex-dirigente do CDS-PP Abel Pinheiro. Nas alegações finais, o Ministério Público (MP) não tinha dado como provado que Abel Pinheiro tivesse praticado o crime de tráfico de influências, mas pediu a sua condenação por falsificação de documentos.

Na altura, José António Barreiros, advogado de defesa do ex-dirigente do CDS-PP, insistiu na inocência do seu cliente e pediu a sua absolvição dos crimes de tráfico de influências e de falsificação de documentos.

No total, o MP tinha pedido a responsabilização penal de seis dos 11 arguidos do caso Portucale, defendendo a condenação de Abel Pinheiro, Eunice Tinta e José António Valadas (estes dois últimos funcionários do CDS/PP à data dos factos) pelo crime de falsificação de documentos, mas com uma pena não privativa da liberdade.

Em causa está a entrada de mais de um milhão de euros nos cofres do CDS/PP, para a qual, segundo a acusação, não existem documentos de suporte que justifiquem a sua proveniência e cujos recibos são falsificados.

O caso Portucale relaciona-se com o abate de sobreiros na herdade da Vargem Fresca, em Benavente, para a construção de um projecto turístico-imobiliário da empresa Portucale, do Grupo Espírito Santo (GES), por força de um despacho conjunto dos ministros do então Governo PSD/CDS Nobre Guedes (Ambiente), Telmo Correia (Turismo) e Costa Neves (Agricultura).
.
Para saber mais: 

Caso Portucale – Wikipédia, a enciclopédia livre

KAOS: "ESPELHO MEU HÁ ALGUÉM MAIS ALDRABÃO QUE EU?"



Espelho meu,
EM EXIBIÇÃO

A CIGARRA E A FORMIGA EM DUAS VERSÕES: ALEMÃ E PORTUGUESA


A Cigarra e a Formiga (versões Alemã e Portuguesa)

A formiga trabalha durante todo o Verão debaixo de Sol. Constrói a sua casa e enche-a de provisões para o Inverno.
A cigarra acha que a formiga é burra, ri, vai para a praia, bebe umas bejecas,  vai ao Rock in Rio e deixa o tempo passar.

Quando chega o Inverno a formiga está quentinha e bem alimentada. A cigarra está cheia de frio, não tem casa nem comida e morre de fome.

Fim
Versão portuguesa
A formiga trabalha durante todo o Verão debaixo de Sol. Constrói a sua casa e enche-a de provisões para o Inverno.
A cigarra acha que a formiga é burra, ri, vai para a praia, bebe umas bejecas,  vai ao Rock in Rio e deixa o tempo passar.
Quando chega o Inverno a formiga está quentinha e bem alimentada.
A cigarra, cheia de frio, organiza uma conferência de imprensa e pergunta porque é que a formiga tem o direito de estar quentinha e bem alimentada enquanto as pobres cigarras, que não tiveram sorte na vida, têm fome e frio.
A televisão organiza emissões em directo que mostram a cigarra a tremer de frio e esfomeada ao mesmo tempo que exibem vídeos da formiga em casa, toda quentinha, a comer o seu jantar com uma mesa cheia de coisas boas à sua frente.
A opinião pública tuga escandaliza-se porque não é justo que uns passem fome enquanto outros vivem no bem bom. As associações anti pobreza manifestam-se diante da casa da formiga. Os jornalistas organizam entrevistas e mesas redondas com montes de comentadores que comentam a forma injusta como a formiga enriqueceu à custa da cigarra e exigem ao Governo que aumente os impostos da formiga para contribuir para a solidariedade social.

A CGTP, o PCP, o BE, os Verdes, a Geração à Rasca, os Indignados e a ala esquerda do PS com a Helena Roseta e a Ana Gomes à frente e o apoio implícito do Mário Soares organizam manifestações diante da casa da formiga.

Os funcionários públicos e os transportes decidem fazer uma greve de solidariedade de uma hora por dia (os transportes à hora de ponta) de duração ilimitada.

Fernando Rosas escreve um livro que demonstra as ligações da formiga com os nazis de Auschwitz.
Para responder às sondagens o Governo faz passar uma lei sobre a igualdade económica e outra de anti descriminação (esta com efeitos retroactivos ao princípio do Verão).
Os impostos da formiga são aumentados sete vezes e simultaneamente é multada por não ter dado emprego à cigarra. A casa da formiga é confiscada pelas Finanças porque a formiga não tem dinheiro que chegue para pagar os impostos
e a multa.
A formiga abandona Portugal e vai-se instalar na Suíça onde, passado pouco tempo, começa a contribuir para o desenvolvimento da economia local.
A televisão faz uma reportagem sobre a cigarra, agora instalada na casa da formiga e a comer os bens que aquela teve de deixar para trás.

Embora a Primavera ainda venha longe já conseguiu dar cabo das provisões todas organizando umas "parties" com os amigos e umas "raves" com os artistas e escritores progressistas que duram até de madrugada. Sérgio Godinho compõe a canção de protesto "Formiga fascista, inimiga do artista...
A antiga casa da formiga deteriora-se rapidamente porque a cigarra está-se nas tintas  para a sua conservação. Em vez disso queixa-se que o Governo não faz nada para manter a casa como deve de ser. É nomeada uma comissão de inquérito para averiguar as causas da decrepitude da casa da formiga. O custo da comissão (interpartidária mais parceiros sociais) vai para o Orçamento de Estado: são 3 milhões de euros por ano.
Enquanto a comissão prepara a primeira reunião para daí a três meses, a cigarra morre de overdose.
Rui Tavares comenta no Público a incapacidade do Governo para corrigir o problema da desigualdade social e para evitar as causas que levaram a cigarra à depressão e ao suicídio.
A casa da formiga, ao abandono, é ocupada por um bando de baratas, imigrantes ilegais, que há já dois anos que foram intimadas a sair do País mas que decidiram cá ficar, dedicando-se ao tráfego da droga e a aterrorizar a vizinhança.

Ana Gomes um pouco a despropósito afirma que as carências da integração social se devem à compra dos submarinos, faz uma relação que só ela entende entre as baratas ilegais e os voos da CIA e aproveita para insultar Paulo Portas.

 
Entretanto o Governo felicita-se pela diversidade cultural do País e pela sua aptidão para integrar harmoniosamente as diferenças sociais e as contribuições das diversas comunidades que nele encontraram uma vida melhor. 
A formiga, entretanto, refez a vida na Suíça e está quase milionária...