Translator

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

POBRI-HOMEM!



As capas dos jornais e as principais notícias de Quinta-feira, 24 de Janeiro de 2013.




Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Marinha: Novo comandante
Famalicão: Morre na banheira
Pedro Proença: “Energúmenos”
António Costa: Tolerância no Carnaval
Exército cede à EDP doze geradores
Paula Teixeira da Cruz: Reaver prisão
Ponte de Sor: Atropela e foge

Capa do Público Público

Governo compensa menos receita fiscal com corte na despesa e investimento
Sorteio do Totoloto (7/2013)
Resultados da Apple desapontam investidores
Depois da goleada, o Real Madrid saiu do Mestalla “apenas” com um empate
EUA abrem posições de combate a mulheres militares
Jogo em atraso não atrasou o FC Porto
Combate à crise não pode hipotecar gerações futuras, avisa ex-líder do Bundesbank

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Sampaio defende entendimento inter-religioso e cultural
EDP repôs eletricidade em "99%" dos casos diz Mexia
Igreja Católica não vai agregar paróquias
Apertar o cinto é para os outros
Adelaide Ferreira indiciada por tentar encobrir aborto da filha
Adelaide Ferreira ouvida pela polícia no Brasil
Jovens constroem iglu no centro da cidade da Guarda

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Vasco da Gama vence Macaé e lidera Grupo A da Taça Guanabara
Igreja Católica não vai agregar paróquias, garante bispo de Lamego
MTI poderá investir 600 milhões de euros nas minas de ferro
Universidade do Minho cria plataforma web para prevenir doenças neurocognitivas
Coautor de estudo do FMI sobre Portugal suspeito de fraude
PS diz que números da Direção-Geral do Orçamento indiciam "espiral recessiva" devido a "austeridade excessiva"
Organismo responsável por investigar acidentes ferroviários tem apenas uma secretária

Capa do i i

Igreja Católica não vai agregar paróquias
MNE. Portugal vê o futuro da UE com a participação do Reino Unido
BE. Governo usou medidas extraordinárias "à última hora" para atingir défice
Portugal tem falta de aparelhos de radioterapia, diz estudo
Números da DGO indiciam "espiral recessiva" devido a "austeridade excessiva", alerta PS
Executivo arrecada 800 milhões com concessão da ANA que permitem cumprir défice
Estado arrecadou menos 1.642,4 milhões de euros com IRS e IRC em 2012

Capa do Diário Económico Diário Económico

Falta garantir o contágio dos mercados à economia
Este país não é para pequeninos?
Agências de rating, mercados e Portugal
Autoridade da Concorrência trava venda do Pavilhão Atlântico
Antigos gestores da banca contestam corte nas pensões
Costa pressionado para avançar contra Seguro
Operação de regresso aos mercados foi uma das mais concorridas de sempre

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

PS: Números da execução orçamental indiciam "espiral recessiva" devido a "austeridade excessiva"
E a Google brilha a grande altura
Politics as usual
Sonae acredita estar a criar condições para sair da crise mais forte
Presidente da Anacom defendeu fusão da Zon e Optimus
Y = G + C + I + (EX ? IM)
E agora... o investimento

Capa do Oje Oje

José A. Sousa: “Vamos ver acionistas a atirar a toalha ao chão e a querer sair do setor”
Poupança a longo prazo acode urgências do presente
SAP ganha menos 18% em 2012
Mau tempo volta a apanhar portugueses desprevenidos
Encomendas reduzem lucro da Siemens
Barclays dispensa 2 mil colaboradores
Liberty estreia relatório de sustentabilidade

Capa do Destak Destak

Circulação na linha do norte reaberta hoje - REFER
Cuba realizou mais de 5.100 transplantes de rim nas últimas quatro décadas
Embaixador do país na Organização dos Estados Americanos é "enviado especial" para normalizar relações com EUA
Economia chinesa deverá crescer 8,2% em 2013 e 8,5% em 2014, prevê FMI
Chinesa Li Na na final do Open da Austrália depois de afastar Sharapova
Coreia do Norte anuncia planos para novo teste nuclear, mas não revela data
EUA vão usar Internet e redes sociais para combater o extremismo islâmico

Capa do A Bola A Bola

Real: «Percebi logo que algo não estava bem» – Casillas
Newcastle confirma contratação de Gouffran
Chelsea: Hazard pede desculpas por ter pontapeado apanha bola
Newcastle pressiona Van Wolfswinkel
Casilllas terá pedido para sair do Real Madrid
Diego Rubio marca na vitória do Chile frente ao Equador (4-1)
Tour de San Luís: André Cardoso no «top ten»

Capa do Record Record

Sasso à força
Bruno China: «Pensar mais alto só após a permanência»
Li Na apura-se para a final
Ukra gera dúvida
Gastos baixam em 60 mil euros
Catalães têm teste de fogo
Raul Meireles volta e vence

Capa do O Jogo O Jogo

Treinador do Santa Clara diz-se agredido por adjunto de Jokanovic
"Ou nós ou Mourinho"
Triatlo: João Silva reforça o Benfica
Vitórias de FC Porto e Benfica
Bicampeã França fora da corrida
Proença "pega-se" com adeptos
"O melhor árbitro também erra, e Pedro Proença errou"

Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem tu és!


Diz-me com quem andas...


...E EU DIR-TE-EI QUEM TU ÉS!
Passo a transcrever :
Gente que sofre por causa da crise
 CONFESSO QUE ao ver a capa da última "Nova Gente" fiquei, tal como Marcelo Rebelo de Sousa quando soube da decisão presidencial em solicitar a fiscalização sucessiva do Orçamento de Estado ao Tribunal Constitucional, "com a boca em ó"... 
.
É que nunca na minha vida esperei alguma vez ver uma imagem tão grotesca  como a publicada pela "revista do IC-19"  e que nos mostra as figuras tristes e bacocas (desta feita no Brasil) que certas personagens não se coíbem de protagonizar, revelando assim a sua verdadeira faceta. 
.
Triste demais para ser verdade ver aquele autarca auto-inteligente que ainda não sabe se "troca" Sintra por Lisboa para entretanto abichar um lugarzinho em Bruxelas que, com aquele ar aparvalhado que o caracteriza, lidera de papelinho na mão uma fila de criaturas a dar à anca certamente ao ritmo de algum "forró" ou "canção sertaneja" e onde pontificam o inefável "Mendes dos bitaites" e, claro, a D. Judite - essa referência do jornalismo televisivo nacional. 
.
Um "mimo", este verdadeiro "comboio de parolos" como e bem definiu um amigo meu que, também - julgo -  ainda não recuperou do "choque"...

P.S: - Já agora e a propósito desta fotografia, lembrei-me do verdadeiro sururu que há uns anos causou uma fotografia de Pedro Santana Lopes numa festa a bordo de um cruzeiro.
Só porque tinha amarrado um lenço à volta da cabeça. Ao menos não fazia figuras tristes

(*) Para quem não acompanhou o Brasil dos anos 80 /90, Paulo Maluf, ex-prefeito da cidade de S. Paulo, foi condenado e preso por múltiplos processos de corrupção  (só na Ilha Jersey foram identificadas aplicações superiores a 800 milhões de dólares americanos).

OS XÉXÉS DE ONTEM E OS DE HOJE....!!!

Os xexés


Xexé (1921).
Ilustração de Leal da Câmara (1876-1948)
Capa da revista “ILUSTRAÇÃO PORTUGUESA”, nº 781 de 5 de Fevereiro de 1921.
Uma figura característica do Carnaval doutros tempos, pelo menos até ao primeiro quartel do século XX, era o “xexé”, caricatura do Portugal miguelista, caído em desgraça. O personagem foi retratado entre outros por José Malhoa (1895), Rafael Bordalo Pinheiro (1903), Augusto Bobone (antes de 1910) e Leal da Câmara (1921). O xéxé trajava uma casaca de seda colorida, calção e meia branca, sapatos de fivela, cabeleira de estopa, punhos de renda e um enorme chapéu bicorne, à moda de finais do séc. XVIII - séc XIX. Usava muitas vezes lunetas, andava armado com um grande facalhão de madeira e um cacete adornado com um chavelho. De acordo com o “Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa” [2], “Xexé” é um substantivo masculino que designa “Personagem carnavalesco típico, caracterizado como um velho ridículo e senil”. Para este dicionário, o termo terá sido utilizado pela primeira vez no “Dicionário Contemporâneo de Língua Portuguesa”, de Caldas Aulete. Como refere a “Gíria Portugueza” [1], “Chéché” é um termo popular que designa “Mascarado repelente e ridículo, em Lisboa, que importuna os transeuntes pedindo “dez reisinhos p’r’o velho””. De acordo com o “Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa” [2], “Xexé” é também um substantivo e adjectivo com os dois géneros, aplicável a “quem está desprovido de lucidez em decorrência de idade avançada”, sendo sinónimo de ”senil”, “caduco” e “gagá”. É ainda aplicável “àqueles que possuem comportamento ridículo ou estúpido”. Julgo que é neste último sentido, que o termo seja aplicável aos responsáveis políticos ao mais alto grau que:
- Se queixam que as suas reformas chorudas não chegam para as despesas pessoais;
- Chamam “piegas” àqueles que civicamente protestam pela dureza das condições de vida que lhes estão a ser impostas;
- Mandam os licenciados, mestres e doutores emigrarem, por cá não arranjarem emprego; - Mandam os militares sair das fileiras, quando estes protestam civicamente;
- Reformados da política nos sugam dinheiro diariamente com as suas benesses vitalícias. Perante um panorama sombrio deste quilate, apenas uma atitude é possível. O direito à indignação, acompanhado da legítima conclusão de que somos governados por “xéxés”. É caso para bradar bem alto:
- ACABEMOS COM ESTE CARNAVAL!


BIBLIOGRAFIA
[1] - BESSA, Alberto. A Gíria Portugueza. Gomes de Carvalho - Editor. Lisboa, 1901.
[2] – HOUAISS, António et al. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Círculo de Leitores. Lisboa, 2003.
Xexé (1895).
José Malhoa (1855-1933).
Óleo sobre tela (27,4 x 47,4 cm).
Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves, Lisboa.
Xexé (1898), desfilando na Praça D. Pedro IV, em Lisboa.
Fotógrafo não identificado.
Negativo de gelatina e prata em vidro (9 x 12 cm).
Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Lisboa.

Xexé (1903).
Ilustração de Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905).
Capa da revista “A PARÓDIA”, nº5 de 18 de Fevereiro de 1903.

Xexé (anterior a 1910), desfilando na Avenida da Liberdade, em Lisboa.
Augusto Bobone (1852-1910).
Negativo de gelatina e prata em vidro (9 x 12 cm).
Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Lisboa.

6 comentários:

  1. E nós vivemos num país de xéxés... Até quando????
    Responder
  2. Creio que deva ser percorrido um caminho de profundo esclarecimento cívico, até ao próximo escrutínio eleitoral.
    Responder
  3. BRAVO!
    Dr. Hernâni Matos,
    É realmente urgente acabar com este Carnaval!
    - Pôr fim aos privilégios da classe política que se tem revezado no incessante regabofe de usar o Estado em proveito próprio, privando-o de mais-valias que, com outros recursos do mesmo Estado, são canalizados para a banca e algum empresariado privado e que lhes garante empregos milionários;
    - Privar a classe política que emergiu após o 25 de Abril de capacidade cívica - activa e passiva - cuja restituição só poderá ser obtida mediante recurso aos Tribunais, à semelhança do que foi feito relativamente aos indivíduos ligados ao regime anterior a 1974;
    - Confiscar os bens e julgar todos os que tiveram intervenção ou beneficiaram dos conhecidos crimes contra o erário público.
    Deste modo se pagará a dívida para que empurraram o Estado e se livrará o povo - que nada teve a ver com o regabofe - da miséria que por aí grassa galopantemente.
    É a Revolução de que precisamos!
    Bem haja!
    Responder
    Respostas
    1. Jorge:
      Obrigado pelo seu comentário.
      Façamos então a revolução!
  4. Bravo, amigo Hernâni ! É sempre um prazer lê-lo, mas hoje, além da parte pedagógica quanto aos xéxés antigos, tenho que o cumprimentar pela pedagogia cívica que usou para caracterizar os xéxés modernos... Parabéns e Obrigada
    mfernanda
    Responder
    Respostas
    1. Fernanda:
      Obrigado pelo seu comentário.
      É que estão mesmo xéxés... Pensam que é o Povo que está errado e como não conseguem mudar o Povo, querem acabar com ele...

JORNAL "O CRÁPULA" DE 24.01.2013