Translator

sexta-feira, 14 de junho de 2013

PEÇA IMPRÓPRIA PARA GENTE PURITANA.....


                                                         



                                          


Surda que nem uma porta...
A Júlia Pinheiro foi fazer uma reportagem a um lar de idosos e enfiou logo o microfone nas ventas de uma velhinha que, por acaso, era surda como uma porta.  E, de rompante, começou a entrevista:

"Ó D. Engrácia, tem televisão?"

"Se tenho tesão? Já tive, minha filha... Ohhh, se já tive!!!!"

Engasgada, a Querida Júlia tentou dar a volta à situação e fez-lhe nova pergunta:

"E telefonia, D. Engrácia? Tem?"

"Ah!!! Se fodia!!! Fodia muito, minha filha!..."

Já quase a perder as estribeiras, a Querida Júlia ainda arriscou perguntar-lhe se pagava taxa.

A D. Engrácia respondeu logo:
"Pois claro que era na paxaxa... No meu tempo não tínhamos cá essas modernices de levar no cu..."

CARTA DE INÊS GONÇALVES



FELIZMENTE HÁ JUSTIÇA!!!...

video

A SEITA E A CEIA


TRAGÉDIA LUSITANA - A DEGRADAÇÃO DE PORTUGAL

Portugal sofre segunda maior quebra de emprego na União Europeia

Portugal sofre segunda maior quebra de emprego na União Europeia
legenda da imagem
Rafael Marchante, Reuters

O número de pessoas com registo de emprego em Portugal teve no primeiro trimestre de 2013 uma queda de 5,2 por cento, por comparação com o mesmo período do ano passado. É o segundo maior recuo da União, atrás da Grécia, evidenciam os dados difundidos esta sexta-feira pelo gabinete europeu de estatísticas.

Está confirmada tendência de agravamento da pulverização de postos de trabalho em Portugal nos primeiros três meses deste ano. O recuo face ao mesmo trimestre de 2012 foi, de acordo com o Eurostat, de 5,2 por cento. 
 .
No derradeiro trimestre do ano passado, verificara-se uma quebra homóloga de 4,3 por cento, depois dos recuos de 4,1 e de 4,2 dos terceiro e segundo trimestres, respetivamente. 
.
Na Zona Euro, o emprego regrediu um por cento no primeiro trimestre, ao passo que no conjunto da União Europeia recuou 0,4 por cento, após quedas homólogas de 0,8 e 0,5 por cento, respetivamente.
.
O país apresenta agora a segunda maior queda homóloga entre os Estados-membros da União Europeia, atrás da Grécia, onde o número de empregados regrediu em 6,5 por cento. Seguem-se as reduções do Chipre, de 4,8 por cento, e de Espanha, na ordem dos 4,3 por cento.
.
Já a comparação com o quarto trimestre de 2012 revela uma redução de 2,2 por cento no número de pessoas com emprego em Portugal. Trata-se, uma vez mais, da segunda maior descida no conjunto dos Estados-membros. Na Grécia este indicador recuou 2,3 por cento. Espanha e Chipre apresentam, neste cálculo, descidas de 1,3 por cento.
.
Os maiores acréscimos homólogos em número de empregados na União pertencem a Lituânia, com uma subida de 2,4 por cento, Estónia, com 2,3 por cento, e Letónia, com uma expansão de um ponto percentual.

TRAGÉDIA LUSITANA - A DEGRADAÇÃO DE PORTUGAL

Portugal sofre segunda maior quebra de emprego na União Europeia

Portugal sofre segunda maior quebra de emprego na União Europeia
legenda da imagem
Rafael Marchante, Reuters

O número de pessoas com registo de emprego em Portugal teve no primeiro trimestre de 2013 uma queda de 5,2 por cento, por comparação com o mesmo período do ano passado. É o segundo maior recuo da União, atrás da Grécia, evidenciam os dados difundidos esta sexta-feira pelo gabinete europeu de estatísticas.

Está confirmada tendência de agravamento da pulverização de postos de trabalho em Portugal nos primeiros três meses deste ano. O recuo face ao mesmo trimestre de 2012 foi, de acordo com o Eurostat, de 5,2 por cento. No derradeiro trimestre do ano passado, verificara-se uma quebra homóloga de 4,3 por cento, depois dos recuos de 4,1 e de 4,2 dos terceiro e segundo trimestres, respetivamente.Na Zona Euro, o emprego regrediu um por cento no primeiro trimestre, ao passo que no conjunto da União Europeia recuou 0,4 por cento, após quedas homólogas de 0,8 e 0,5 por cento, respetivamente.
O país apresenta agora a segunda maior queda homóloga entre os Estados-membros da União Europeia, atrás da Grécia, onde o número de empregados regrediu em 6,5 por cento. Seguem-se as reduções do Chipre, de 4,8 por cento, e de Espanha, na ordem dos 4,3 por cento.

Já a comparação com o quarto trimestre de 2012 revela uma redução de 2,2 por cento no número de pessoas com emprego em Portugal. Trata-se, uma vez mais, da segunda maior descida no conjunto dos Estados-membros. Na Grécia este indicador recuou 2,3 por cento. Espanha e Chipre apresentam, neste cálculo, descidas de 1,3 por cento.

Os maiores acréscimos homólogos em número de empregados na União pertencem a Lituânia, com uma subida de 2,4 por cento, Estónia, com 2,3 por cento, e Letónia, com uma expansão de um ponto percentual.

MAIS MISÉRIA, A CHEGAR, AOS TRISTES PORTUGUESES!!!...

DUAS RAPIDINHAS


KAOS:Neste caso o ladrão fez a ocasião




vitor gaspar passos coelho paulo portas a ocasião faz o ladrão

A Frase




O que é mais aterrador não é o diagnóstico de que a zona Euro se está a afundar na recessão. O mais aterrador é assistir à incapacidade ou mesmo falta de vontade de encontrarem soluções para retirar as economias do euro da recessão. E era tão fácil. Está dito desde 2010, quando esta crise se iniciou. Bastava que países como a Alemanha tivessem sido expansionistas. Assim teriam evitado o euro em recessão. Assim os programas de ajustamento teriam sido um sucesso. Preferiram a vida fácil do populismo com acusações aos povos do sul. E assim criaram um problema ainda maior.
Helena Garrido, Jornal de Negócios