Translator

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

DANDO CONTA DE MIM


São 5:45 da manhã na varanda do primeiro andar onde se situa o meu quarto a 10 euros, as 24 horas, na cidade de Buriram a 400 quilómetros da capital do Reino da Tailândia.

.
"a minha casa fica a uns 20 km de Mukdahan, na estrada Ubon - Mukdahan. O itinerario desde Bankok é:  Bangkok-Nakon Ratchasima-Yasoton-Mukdahan o meu distrito e Nikhom Kham Soi Se usar o Aeroporto, tem que ir para Ubon Ratchatani fica a 120 km de aqui"
.
A primeira perna na viagem para " encontrar este português e mais um, que governam a vida junto à redondeza da margem direira do majestoso Rio Mekong e aquele por onde o Fernão Mendes Pinto navegou, meados do século XVI, até ao Cambodja. 
.
Transporta-me o meu velho Honda Civic de 16 anos comigo e mais dois usado pelo primeiro dono. Ainda me faltam, rodar, cerca de 280 quilómetros. Darei mais notícias, logo pela noite, quando aqui na Tailândia são mais seis horas que em Portugal.
José Martins

BONECO TEIMOSO - SEMPRE EM PÉ!



ARRIBA ESPAÑA!


Atenção! Nem tudo é mau! Quero acreditar que o Mexia começará a ser pago pela Casa Real Espanhola ou pelo PP.

É de ficar com os cabelos em pé…

video

O PONTO-MINEIRO DAS ORÍGENS ATÉ HOJE!




SALAZAR INIMIGO DOS BANCA ROTAS

 O texto a seguir não foi teclado por este blogue. Limitou-se a transcreve-lo.
-
Comparem os políticos de hoje, reformados com altíssimas pensões e outros rendimentos, com os do Professor Salazar que quando morreu em 1970 tinha um património avaliado em 150 a 200 contos.
-
Ainda ontem, vim a saber que a deputada Ana Drago do Bloco da Esquerda se desloca em carros de luxo com motorista às suas palestras. E é esta mesma escumlha que passa a vida a dar lições de moral aos outros!!!
-
Depois da abrilada de 1974, bem andaram os comunas a revirar tudo o que encontraram à procura da "fortuna escondida" do Professor Salazar e a única coisa que encontraram foi pó.
-
Hoje é ver os abrileiros por aí a celebrar de cravo na mão todos felizes no 25 de abril. Pudera! Encheram bem o cu às custas do mesmo...
-
Mas o povo logo há-de abrir os olhos, quando verem a tragédia para onde os partidos e a pseudo-democracia nos conduziram, nessa altura logo choram baba e ranho.

-
Salazar foi no seu tempo o pior inimigo dos bancarrotas porque foi exactamente por esse motivo que foi para o governo, em 1928.
.
"Para avaliar a obra de Salazar é preciso comparar o Portugal que ele recebeu, ao assumir o Governo, com o Portugal que ele deixou. Recebeu um país arruinado, dividido, convulso, desorientado, descrente nos seus destinos, intoxicado por uma política estéril. Deixou o País ordenado, unido, consciente, seguro dos seus objectivos e com capacidade para os atingir" - Marcello Caetano, na televisão, em 30 de Julho de 1970, após a  morte de Salazar.
.
Salazar ao morrer deixou um país que os comunistas e socialistas, mais os democratas moderados, queriam mudar (estes por dentro e aqueles à bomba revolucionária), porque se atrasara efectivamente em relação aos mais avançados na Europa. 
.
Não se pode ter sol na eira e chuva no nabal e era difícil conservar ordem nas ruas, nas finanças e paz social a par de desenvolvimento económico acelerado. Porém, no início da década de 1970, com Marcello Caetano era exactamente isso que sucedia, o que conduziria necessariamente à abertura política, num futuro próximo e à resolução das guerras no Ultramar, obrigatoriamente.
.
Em 1974 e 1975 os críticos do regime mudaram-no e aquela esquerda fez o que queria, até um certo ponto. 
.
O país que nos legaram os socialistas e comunistas, mais os democratas de todos os matizes que se ocupam em denegrir constantemente o regime de Salazar, apodando-o de fascista, obscurantista e outros mimos, nos últimos quase 40 anos (Salazar esteve no poder outros tantos e fez o que é público e notório e que os Rosas&Pereira se esforçam por denegrir) é o que temos.
.
Basta comparar o que se fez em igual período de tempo, nessas duas épocas, e avaliar objectivamente, para se entender quem percebeu melhor o país, quem o governou melhor e quem procurou sempre atingir o bem comum. Com um pormenor de tomo: com uma guerra no Ultramar, a partir dos anos 1960, durante 13 anos portanto, e que nos consumia recursos que aqueles comunistas e socialistas entendiam serem suficientes para nos tirarem do subdesenvolvimento. 
.
Acabou a guerra e as despesas inerentes e viu-se: duas bancarrotas em menos de uma década, salvando-se o país, in extremis, por intervenção estrangeira que nos custou uma austeridade que nunca acabou verdadeiramente; e outra que agora se explica pelos mesmos motivos: gastar à tripa forra, vivendo de empréstimos e sem produzir o suficiente para o serviço dessa dívida. 
.
Com uma curiosidade de vulto: todos os principais protagonistas da democracia que vituperam o regime de Salazar vivem à grande e à francesa, geralmente à custa do Orçamento. 
.
Uma boa parte deles, os principais que ocuparam cargos de poder em diversos sectores,  têm depósitos milionários (centenas de milhar de euros em depósitos a render) e auferem rendimentos mensais substanciais, para além de património que acumularam ao longo de décadas. 
.
Deixam para os filhos e netos um pecúlio que Salazar não tinha quando morreu...






Salazar: O Pior Inimigo dos Bancarrotas

 O texto a seguir não foi teclado por este blogue. Limitou-se a transcreve-lo.
-
Comparem os políticos de hoje, reformados com altíssimas pensões e outros rendimentos, com os do Professor Salazar que quando morreu em 1970 tinha um património avaliado em 150 a 200 contos.
-
Ainda ontem, vim a saber que a deputada Ana Drago do Bloco da Esquerda se desloca em carros de luxo com motorista às suas palestras. E é esta mesma escumlha que passa a vida a dar lições de moral aos outros!!!
-
Depois da abrilada de 1974, bem andaram os comunas a revirar tudo o que encontraram à procura da "fortuna escondida" do Professor Salazar e a única coisa que encontraram foi pó.
-
Hoje é ver os abrileiros por aí a celebrar de cravo na mão todos felizes no 25 de abril. Pudera! Encheram bem o cu às custas do mesmo...
-
Mas o povo logo há-de abrir os olhos, quando verem a tragédia para onde os partidos e a pseudo-democracia nos conduziram, nessa altura logo choram baba e ranho.

-
Salazar foi no seu tempo o pior inimigo dos bancarrotas porque foi exactamente por esse motivo que foi para o governo, em 1928.
.
"Para avaliar a obra de Salazar é preciso comparar o Portugal que ele recebeu, ao assumir o Governo, com o Portugal que ele deixou. Recebeu um país arruinado, dividido, convulso, desorientado, descrente nos seus destinos, intoxicado por uma política estéril. Deixou o País ordenado, unido, consciente, seguro dos seus objectivos e com capacidade para os atingir" - Marcello Caetano, na televisão, em 30 de Julho de 1970, após a  morte de Salazar.
.
Salazar ao morrer deixou um país que os comunistas e socialistas, mais os democratas moderados, queriam mudar (estes por dentro e aqueles à bomba revolucionária), porque se atrasara efectivamente em relação aos mais avançados na Europa. 
.
Não se pode ter sol na eira e chuva no nabal e era difícil conservar ordem nas ruas, nas finanças e paz social a par de desenvolvimento económico acelerado. Porém, no início da década de 1970, com Marcello Caetano era exactamente isso que sucedia, o que conduziria necessariamente à abertura política, num futuro próximo e à resolução das guerras no Ultramar, obrigatoriamente.
.
Em 1974 e 1975 os críticos do regime mudaram-no e aquela esquerda fez o que queria, até um certo ponto. 
.
O país que nos legaram os socialistas e comunistas, mais os democratas de todos os matizes que se ocupam em denegrir constantemente o regime de Salazar, apodando-o de fascista, obscurantista e outros mimos, nos últimos quase 40 anos (Salazar esteve no poder outros tantos e fez o que é público e notório e que os Rosas&Pereira se esforçam por denegrir) é o que temos.
.
Basta comparar o que se fez em igual período de tempo, nessas duas épocas, e avaliar objectivamente, para se entender quem percebeu melhor o país, quem o governou melhor e quem procurou sempre atingir o bem comum. Com um pormenor de tomo: com uma guerra no Ultramar, a partir dos anos 1960, durante 13 anos portanto, e que nos consumia recursos que aqueles comunistas e socialistas entendiam serem suficientes para nos tirarem do subdesenvolvimento. 
.
Acabou a guerra e as despesas inerentes e viu-se: duas bancarrotas em menos de uma década, salvando-se o país, in extremis, por intervenção estrangeira que nos custou uma austeridade que nunca acabou verdadeiramente; e outra que agora se explica pelos mesmos motivos: gastar à tripa forra, vivendo de empréstimos e sem produzir o suficiente para o serviço dessa dívida. 
.
Com uma curiosidade de vulto: todos os principais protagonistas da democracia que vituperam o regime de Salazar vivem à grande e à francesa, geralmente à custa do Orçamento. 
.
Uma boa parte deles, os principais que ocuparam cargos de poder em diversos sectores,  têm depósitos milionários (centenas de milhar de euros em depósitos a render) e auferem rendimentos mensais substanciais, para além de património que acumularam ao longo de décadas. 
.
Deixam para os filhos e netos um pecúlio que Salazar não tinha quando morreu...






1 de Outubro de 2013

 

A "SAGA" ANGOLA E MACHETE LIMITADA



MISS ANGOLA 2013


Isto é que é uma beleza!


No comments :

A Revisão Constitucional

O texto a seguir não foi teclado por este blogue. Justamente o transcreveu.

Esta maldita constituição - uma obra da literatura fantástica fruto de esquerdóides irracionais - ainda vai ser a nossa desgraça...

Quantos portugeses é que sabem por exemplo que a Constituição Portuguesa actual, quando foi aprovada em 1976 (à margem de qualquer referendo, tudo muito "democrático" portanto...) era a 2ª constituição mais longa do mundo a seguir à da Jugoslávia?

A Jugoslávia acabou como acabou, agora quero ver como é que nós vamos acabar...

Em finais de 1978, depois dos sucessivos governos de esquerda, com destaque para os de Mário Soares, terem arruinado o país, levando-o ao limiar da bancarrota, salva in extremis com a intervenção do estrangeiro, mormente do FMI, os portugueses estavam fartos dessa esquerda.

O então presidente da República, Ramalho Eanes, promoveu então publicamente uma "serena reflexão sobre a revisão constitucional" que se impunha.

O PSD de Sá Carneiro, logo em Janeiro de 1979 mostrou publicamente o seu projecto de revisão constitucional, intitulado "Uma Constituição para os anos 80",  como O Jornal escrevia em 2 de Abril de 1980.

Em Dezembro de 1979 a Aliança Democrática tinha ganho as eleições intercalares com mais de 45% dos votos expressos e em Outubro de 1980 realizar-se-iam novas eleições, essas sim com efeito constitucional porque iriam permitir a revisão que se operou em 1982.

O projecto de Constituição de Sá Carneiro teria sido elaborado por Marcelo Rebelo de Sousa e Margarida Salema. Faculdade de Direito de Lisboa, portanto.






E o que diziam então os partidos de esquerda? Que não era preciso qualquer revisão, tudo estava muito bem como estava. O PS de Almeida Santos vituperava a Constituição fascista...




Em Setembro de 1980 voltava a falar-se na Constituição e o Jornal de 23/9/1980 apontava um artigo de Santanta Lopes sobre a revisão constitucional ao mesmo tempo que o indicava como sendo o "autor do projecto de revisão constitucional do PSD, por indicação de Sá Carneiro". Duvido que fosse, mas enfim.


  O mesmo número de O Jornal apresentava um resumo dos principais problemas constitucionais a resolver:
Havia um problema com esta revisão: a mentalidade de esquerda, dominante em Portugal e muito bem explicada por um dos seus próceres de então, um bluff político e intelectual, João Cravinho.
E que fazia então o nosso Machete, recuado na Faculdade de Direito desde o tempo em que Sá Carneiro apareceu a impor uma ideia nova no partido, que levou ao desmembramento e criação da ASDI (Sousa Franco, Sérvulo Correia, etc) ? Começava a despontar... e Sá Carneiro morreu em Dezembro de 1980. Machete depois foi ministro. Aliás, já o tinha sido no VI governo provisório. Depois até presidiu a comissões de revisão constitucional em 1989 e 1992. Agora continua ministro. E foi mais coisas. Muitas coisas. Demasiadas coisas. Portugal tem o dever de enunciar e nomear quem o conduziu a mais esta bancarrota. Machete perfila-se como nome proeminente a indicar. 
Como é sabido a revisão constitucional de 1982 foi apenas um remendo democrático.Tudo o que era essencial ficou como dantes, apenas tendo mudado o quartel-general. Em 1989, na segunda revisão, o PS lá deu o agréement para se mudar algo essencial, mas ficou quase todo o peduricalho de esquerda que o PS reservou como garantia.

Até hoje. Uma boa maioria diz que não é preciso mexer na Constituição porque patatipatata. Pois não. A culpa é dos juizes do Constitucional... 



27 de Setembro de 2013

KAOS:Um dia a coisa rebenta




passos coelho paulo portas maria luis albuquerque orcacento bum
Um dia a coisa rebenta e é assim, ou rebentamos nós porque esta gente nos mata de fome e de miséria ou rebentam eles quando os povos compreenderem que são sempre eles que têm o poder para mudar tudo ocupando as ruas e fazendo a revolução.
Eu sei que quando se está numa ditadura há revolucionários e que quando vivemos no que chamam de democracia (embora fajuta, aldrabada e controlada) o poder gosta de apelidar de terroristas a quem não acata o seu poder de cabeça baixa, mas isso não os salvará.
Isto vai ter de rebentar por qualquer lado e só espero que seja onde deve ser, pelo lado do poder corrupto, imoral e desumano.
Enquanto aceitarmos que o poder governe em nome do dinheiro, do grande capital, dos mercados e nós sejamos meras ferramentas descartáveis para o lucro e para a criação desse vil metal nada mudará. Meus amigos, não serão os meus bonecos nem o que aqui escrevo que mudará nada.
Não é o eu ir para a rua sempre com os mesmos que vai mudar nada. Não serei eu nem nenhum de vocês. Seremos todos e só quando formos todos algo poderá mudar, porque não somos terroristas e o que queremos é uma revolução para que se implante uma verdadeira democracia, em que, como o poder corrompe o distribuamos por todos, em que quem comande seja a voz de todos, em que os corruptos e os ladrões sejam responsabilizados, em que a fome e a miséria sejam erradicadas e as pessoas voltem a ser o objecto da politica que voltará a ser algo de nobre e digno porque praticada por todos com o objectivo de servir todos.
O poder somos nós, só temos de o exercer.

Português moderno !


 NOVA LÍNGUA PORTUGUESA

Desde que os americanos se lembraram de começar a chamar aos pretos 'afro-americanos', com vista a acabar com as raças por via gramatical, isto tem sido um fartote pegado!

As criadas dos anos 70 passaram a 'empregadas domésticas' e preparam-se agora para receber a menção de 'auxiliares de apoio doméstico' .
De igual modo, extinguiram-se nas escolas os 'contínuos' que passaram todos a 'auxiliares da acção educativa'.
Os vendedores de medicamentos, com alguma prosápia, tratam-se por 'delegados de informação médica'.
E pelo mesmo processo transmudaram-se os caixeiros-viajantes em 'técnicos de vendas '.
aborto eufemizou-se em 'interrupção voluntária da gravidez';
Os gangs étnicos são 'grupos de jovens'
Os operários fizeram-se de repente 'colaboradores';
As fábricas, essas, vistas de dentro são 'unidades produtivas'e vistas da estranja são 'centros de decisão nacionais'.
analfabetismo desapareceu da crosta portuguesa, cedendo o passo à 'iliteracia' galopante.
Desapareceram dos comboios as 1.ª e 2.ª classes, para não ferir a susceptibilidade social das massas hierarquizadas, mas por imperscrutáveis necessidades de tesouraria continuam a cobrar-se preços distintos nas classes 'Conforto' e 'Turística'.
A Ágata, rainha do pimba, cantava chorosa: «Sou mãe solteira...» ; agora, se quiser acompanhar os novos tempos, deve alterar a letra da pungente melodia: «Tenho uma família monoparental...» - eis o novo verso da cançoneta, se quiser fazer jus à modernidade impante.
Aquietadas pela televisão, já se não vêem por aí aos pinotes crianças irrequietas e «terroristas»; diz-se modernamente que têm um 'comportamento disfuncional hiperactivo'

Do mesmo modo, e para felicidade dos 'encarregados de educação' , os brilhantes programas escolares extinguiram os alunos cábulas; tais estudantes serão, quando muito, 'crianças de desenvolvimento instável'.
Ainda há cegos, infelizmente. Mas como a palavra fosse considerada desagradável e até aviltante, quem não vê é considerado 'invisual'. (O termo é gramaticalmente impróprio, como impróprio seria chamar inauditivos aos surdos - mas o 'politicamente correcto' marimba-se para as regras gramaticais...)
As putas passaram a ser 'senhoras de alterne'.
Para compor o ramalhete e se darem ares, as gentes cultas da praça desbocam-se em 'implementações', 'posturas pró-activas', 'políticas fracturantes' e outros barbarismos da linguagem.
E assim linguajamos o Português, vagueando perdidos entre a «correcção política» e o novo-riquismo linguístico.
Estamos lixados com este 'novo português'; não admira que o pessoal tenha cada vez mais esgotamentos e stress. Já não se diz o que se pensa, tem de se pensar o que se diz de forma 'politicamente correcta'.

E falta ainda esclarecer que os tradicionais "anões" estão em vias de passar a "cidadãos verticalmente desfavorecidos"...
Os idiotas e imbecis passam a designar-se por "indivíduos com atitude não vinculativa"
Os pretos passaram a ser pessoas de cor.
O mongolismo passou a designar-se síndroma do cromossoma 21.
Os gordos e os magros passaram a ser pessoas com disfunção alimentar.
Os mentirosos passam a ser "pessoas com muita imaginação"
Os que fazem desfalques nas empresas e são descobertos são "pessoas com grande visão empresarial mas que estão rodeados de invejosos"
Para autarcas e políticos, afirmar que "eu tenho impunidade judicial", foi substituído por "estar de consciência tranquila".
O conceito de corrupção organizada foi substituído pela palavra "sistema".
Difícil, dramático, desastroso, congestionado, problemático, etc., passou a ser sinónimo de complicado.

As capas dos jornais e as principais notícias de Sexta-feira, 11 de Outubro de 2013.




Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Salto fatal de carro a andar
Homem assassinado a tiro em Sacavém
Jogadores da NBA compram uma vaca para a comer
Greve do metro na terça com serviços mínimos
Pedidos 6,2 milhões de bilhetes para Mundial no Brasil
João Botelho: “Portugal merece ter um filme sobre ‘Os Maias’"
Recuperados 309 corpos do naufrágio de Lampedusa

Capa do Público Público

Noruega vai financiar estudo sobre o impacto da crise na saúde mental dos portugueses
Última fase leva mais 1700 alunos para o superior
Ferreira Leite: corte nas pensões de sobrevivência viola a social-democracia
Novo presidente de Faro promete "exército de boa vontade" para casos sociais
Gestor público demitido diz que contratos swap tinham “riscos controlados”
Governo dos EUA é pouco transparente e hostil à imprensa, aponta relatório
Passos Coelho diz que há contra-informação sobre pensões de sobrevivência

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Os cornões de Machete
E nós a ver naves espaciais
Homem foi morto a tiro em Sacavém
Tribunal decreta serviços mínimos na greve do metro
Proprietária de lar ilegal em Benavente nega maus tratos
Vítimas de castigos no Colégio Militar disseram que se sentiram humilhadas
Chumbos do TC são "dificuldade particular" de Portugal

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Exército dos EUA "copia" armadura de "Homem de Ferro"
Nasceu sem braços e toca guitarra com os pés
Alunos boicotam aulas por falta de professores na Universidade dos Açores
Porto arrebita com reabilitação a custo zero
Há 453 cursos sem alunos colocados na 3.ª fase de acesso ao Superior
Mais de 80% das vagas da 3.ª fase do acesso ao Superior ficaram por preencher
Alteração às pensões de sobrevivência não é "medida fechada", diz Passos Coelho

Capa do i i

Empresas portuguesas pagam à banca o dobro dos juros da média europeia
Miley Cyrus recebe um milhão de dólares para entrar em filme pornográfico
Republicanos propõem aumento temporário do tecto da dívida nos EUA
Arguido diz que castigos corporais eram normais no Colégio Militar
Rui Rio escusa-se a comentar regresso à política e anuncia que vai retomar profissão
Mais de um milhão de portugueses viu Passos Coelho na RTP
Custódio foi a novidade no último treino antes do jogo com Israel

Capa do Diário Económico Diário Económico

O ano de todos os cortes, se o Constitucional deixar
Espíritos animais
A venda dos CTT e a protecção do interesse público
Corte de 10% na função pública é incentivo às rescisões
Deputados da maioria quem cortar mais nas pensões dos políticos
Novos certificados do Estado rendem o dobro da média do mercado
Estado mantém 30% nos CTT e afasta candidatos à privatização

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Mais de 80% das vagas da 3.ª fase ao ensino superior ficam por preencher
Merkel deixa porta aberta a Verdes para eventual coligação governamental
Governo taxa produção eléctrica já este mês
Muita táctica, pouca estratégia
Depois do dinheiro
O inenarrável Portas
O "entroikamento"

Capa do Oje Oje

Telecom Italia quer 9 mil milhões por maioria da Tim Participações
Vendas de aviões de carga vão subir
Vendas de PC recuam pelo 6.º trimestre
BlackBerry pondera dividir empresa
MSC Cruzeiros reforça aposta nos portos portugueses
Quadros, conversas e petiscos musicados
Arte do Gin decantada em 73 versões

Capa do Destak Destak

Cinco militares mortos no Irão por rebeldes
Coreia do Sul deteve 49 espiões norte-coreanos na última década
Pelo menos 190 civis mortos por rebeldes em aldeias alauitas na Síria em agosto
Porto acolhe a partir de hoje Festival Internacional de Marionetas
Ex-presidente do Paquistão Musharraf voltou a ser preso depois da libertação
Japão realiza o primeiro grande simulacro de emergência nuclear desde acidente
Nicolás Maduro pede "castigo severo" para jornal venezuelano

Capa do A Bola A Bola

Ativos em campo para valorizar
Estádio do Bonfim vai ser renovado
SAD confia em Pedro Martins
Miño, médio do Boca Juniors, interessa ao Benfica
Pishyar decidido a ficar na SAD
Profissionalização avança este mês
Cristiano Ronaldo recebeu cartão de sócio

Capa do Record Record

Kardec idolatrado pelos adeptos do Palmeiras
Beto: «Meireles desejou boa sorte»
Baixa de Izmailov leva 17 dias
Cédric sem medo do Dragão
Colômbia e Equador recebem duas finais
Hemed falha jogo decisivo para israelitas
Diogo Valente: «Temos condições para inverter esta situação»

Capa do O Jogo O Jogo

"Guerra" entre Piqué e Arbeloa continua
"Perder Diego Costa para um rival direto é significativo"
Challange Cup: Lusitanos XV derrotados
Juan Sánchez Miño apontado à Luz
Lusitanos XV derrotados na Challenge Cup
Gutman: "Rússia e Portugal vão ser primeiros"
Kaká já pensa no Barcelona

KAOS:Politicamente correcto

jeronimo sousa catarina martins antonio jose seguro passos coelho cagalhao
Na Universidade de Griffith, na Austrália, há um concurso anual sobre a definição mais apropriada para um termo contemporâneo. Este ano, o termo escolhido foi "politicamente correto".
O estudante vencedor escreveu: "Politicamente correto é uma doutrina, sustentada por uma minoria iludida e sem lógica, que foi rapidamente promovida pelos meios de comunicação e que sustenta a ideia de que é inteiramente possível pegar num pedaço de merda pelo lado limpo."
Sem mais comentários da minha parte.

KAOS:Serenata orçamental



passos coelho tocador de alaude
Há dias em que ando à procura de uma imagem para fazer um boneco para falar de um determinado assunto e encontramos outra que nos chama e à qual não resistimos.
Há vezes  em que a guardo para fazer no futuro outras faço logo, como foi o caso desta. Não serve muito bem o que ia falar mas temos de nos adaptar às circunstancias. Afinal o que eu queria fazer era um aviso para não gastarem já a contar com o subsidio de Natal porque até à data do seu pagamento ainda falta um mês e meio e, com orçamentos rectificativo a caminho, nunca se sabe.
No meio das cantorias da entrevista de ontem, onde não ia para dizer nada daquilo que pretende fazer, fiquei ainda mais com a ideia de quem vem ai mais um temporal a juntar aos crimes já cometidos contra este país e quem cá vive.
A função pública, reformados e direitos sociais já se sabe que vão ser cortados a direito falta agora saber que outras malfeitorias virão a caminho. Preparem-se para ir para a rua contestar, mas por favor não nos fiquemos por simples manifestações, que por maior que sejam, se não tiverem continuidade nada resolvem.
Insisto na necessidade de debater alternativas, (um bom exemplo com o Debate do grupo "Democracia e Dívida" no dia 15, dia da entrega do orçamento em frente à Assembleia da Republica pelas 18 horas) mas sobretudo da necessidade da ocupação do espaço público. Manter-nos na rua o tempo que for necessário até esta escumalha ter de fugir.
Exigir respeito pela dignidade deste país e deste povo, exigir o fim da fome e da miséria, a responsabilização de todos os que andaram a engordar à nossa custa com aldrabices, swaps, submarinos,  BPN's e sei lá que mais. Foram muitos milhares de milhões que todos somados fariam com que não existisse nem crise nem dívida.
Ou lutamos a sério e mostramos que não vamos aceitar menos que isto ou então não temos futuro que não passe pela pobreza e trabalho sem direitos. Pensem nisso quando ficarem em casa e não lutarem pelas vossas vidas. Afinal só depende de nós mudarmos ou não o nosso futuro e o dos nossos filhos.

KAOS: Passos na TV by Kaos passos coelho pinoquio burro tv

passos coelho pinoquio burro tv