Translator

domingo, 29 de dezembro de 2013

As capas dos jornais e as principais notícias de Segunda-feira, 30 de Dezembro de 2013.



Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Ban Ki-moon condena lançamento de mísseis do Líbano contra Israel
Suíço morre em acidente com avalanche nos Alpes
Clássico terminou empatado a zero
Póvoa de Varzim encerra o ano com Salão Filatélico
"Dá-me o dinheiro ou dou-te dois tiros"
Cristiano Ronaldo: "Eu sou o meu jogador favorito"
Rapper Doe B morre aos 22 anos em tiroteio

Capa do Público Público

Viva Armando Silva!
Que lógica tem tudo isto?
Solidariedade e equidade entre gerações e a infame guerra aos velhos
Bom Ano
E assim se foi o peculiar ano de 2013
Tito Zagalo pelo Natal
Cartas à directora

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

52 contentores de obras para pôr lixo durante a greve
PSP desmantela rede de tráfico da Alta de Lisboa
Menino de quatro anos encontrado sozinho em casa
Passagem de ano e primeiros dias de 2014 com chuva
Açores sob avisos laranja e amarelo
Viatura dos Bombeiros despista-se e faz dois feridos
Idosa encontrada morta na sua residência em Pataias

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Eficácia bracarense dita leis
Daniela Ruah "escondida" no Afeganistão por causa de gravidez
Menino de três anos abandonado em casa foi resgatado pela polícia
Jorge Mendes faz o tetra como Agente do Ano
Quatro detidos por irregularidades em restaurante de portugueses em Caracas
Michael Schumacher "em coma e em estado crítico"
Clássico dá empate a zero em Alvalade

Capa do i i

Barragem da Covilhã. Fundos comunitários pagam para reconstruir e para... destruir
Depressão na Europa não é igual para todos. Pobres sofrem muito mais
Os homens, mulheres e crianças que metem medo à Europa
Algarve. Mais hotéis fecham durante a época baixa
Marques Mendes: "Mensagem de Natal de Passos não teve qualquer novidade"
PCP vai continuar a lutar contra governo que quer “roubar alegria de viver” aos portugueses
Dezenas de detenções, acusações e condenações por assaltos a caixas Multibanco este ano

Capa do Diário Económico Diário Económico

Portugueses têm de romper com o passado económico
Portugal: uma porta para o Mundo
Um novo rumo para Portugal
O ano decisivo da banca
A economia em 2014: desafios e oportunidades
Visão sobre 2014
O audiovisual, o ajustamento e a transformação

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

Minigeração volta a sofrer redução de 30% das tarifas
Interessadas na TAP estão melhor hoje do que há um ano
9 noivas para um casamento difícil
IRS, IMI e IMT já cortam 10% ao rendimento disponível das famílias
Hospitais vão ter de reduzir défice para meta de em 2014
Governo corta em 43% as receitas da produção eléctrica doméstica
Medidas alternativas asseguram meta de 2013 para as PPP

Capa do Oje Oje

RE/MAX põe em saldo 3.200 imóveis
Coviran inaugura três supermercados no Algarve
SNCF compram 30 comboios elétricos à Bombardier por 277 milhões
Brasil aposta na mobilidade inteligente
Acerinox voltará a permitir escolher como receber dividendos de 2014
Dreyfus compra negócio de milho da Kowalski
Investimento da REE em I&D aumenta 80% em 2013

Capa do Destak Destak

Pelo menos dez mortos em nova explosão na cidade russa de Volgogrado
Oito mortos em ataque contra esquadra na região chinesa de Xinjiang
Presidente sul-coreana acusa Japão de "pôr o dedo em feridas do passado"
Moeda chinesa bate novo recorde face ao dólar norte-americano
Venezuela condena atentado terrorista na Rússia
Número de acusados de violar lei anticomunista na Coreia do Sul é o maior da década
Prosseguem buscas por turista canadiano que se atirou ao mar no Canal da Mona

Capa do A Bola A Bola

Arsénio chega por empréstimo
Três reforços em perspetiva
Clube queixa-se da SAD à Liga
Cissé e Gonçalo Brandão são alvos para janeiro
Messi confirma: «Dia 2 começo a trabalhar com o grupo»
«O menino que subiu a montanha», por José Neto
A musa do Mundial 2010 despiu-se para a Vogue brasileira

Capa do Record Record

Marco Silva: «Foi uma injustiça»
Josué irado no banco
Paulo Quental
Paulo Alves tem três regressos
O trilho do leão
Arábia Saudita: Vítor Pereira perde com líder
O copo meio cheio

Capa do O Jogo O Jogo

Empate técnico no duelo de aspirantes ao Mundial
Real Madrid voltou aos treinos sem Bale e Varane
Chave do Totobola do concurso 52/2013
Danilo: "Foi um bom jogo"
"Reduzimos o FC Porto durante 90 minutos"
Paulo Fonseca: "O resultado aceita-se"
"Só faltou o golo..."

"LÁ COMO CÁ AS COISAS NÃO SEGUEM BEM...!!!"

Carta de um economista a Rajoy

" Os desempregados não diminuem, ou ter desistido de fugir Espanha "
Rajoy : "Digo sim ao diálogo com todos, mas não para dividir a Espanha"
Sr. Presidente, eu decidi fazer esta carta pública depois de ouvir detalhes que você usou e o saldo da conferência de imprensa de 2013. Os desempregados registados no INEM não diminuiram em procura de emprego. Eles desistiram e pararam de confiar em si. Muitos pararam de procurar emprego e muitos outros fugiram de Espanha, a incapacidade de encontrar emprego no nosso país e sem nenhuma expectativa de encontrá-lo no futuro.
.
Segurança Social não está seguindo bem. Um ministro das Finanças, deixou escapar que vai encerrar o ano com um défice de 1,8 % do PIB, que é de 18.000 milhões de dólares. É porque nós vamos terminar o ano com cerca de 300.000 pessoas que perderam seus empregos e pararam de negociação. Além disso , as empresas estáveis estão a ​​destruir postos de trabalho a pessoas com mais de 45 anos, sendo substituído por tempo parcial e os salários de jovens precários. O resultado é de menor receita .
.
O déficit público não está indo bem. As perdas de emprego e salários em queda reduziu a cobrança de imposto de renda. IVA adquirida pelo aumento das taxas no ano passado, mas não melhora a atividade . As receitas fiscais estão estagnados em 2013 e isso significa que 4.000 milhões a menos do que o que você estima orçamentos e isto é preciso acrescentar 4.000 milhões na Segurança Social .
.
Em 2013, vamos pagar mais juros sobre a dívida pública. A dívida aumentou 10.000 milhões de dólares por mês, que é o mesmo que o custo Plano e você muito criticado . Entre janeiro e outubro, o déficit reconhecido pela Controladoria-Geral da Administração Central é de 37.000 milhões de dólares. 10% maior do que em 2012 e 15% maior do que o que você herdou do governo anterior. A dívida pública vai saldar-se no próximo ano em um bilião de euros, 100.000 milhões acima de 2012.
.
O prémio de risco não caiu fruto das suas reformas . A queda foi generalizada nos países periféricos da Europa e do país onde ele é pego na Grécia. Os bancos espanhóis têm financiado metade do aumento da dívida pública, enquanto os investidores estrangeiros apenas 15%. Mas esses mesmos investidores venderam títulos estrangeiros, de ações e de empréstimos por empresas espanholas e bancos 30.000 milhões.
.
As exportações não estão indo bem . Elas tiveram dois, excepcionalmente, bons meses primavera passada , mas desde então eles têm de frenagem seca. Nossa competitividade não melhorou desde 2011. A queda dos salários e aumento da produtividade por perdas massivas de emprego tem sido compensado pela forte valorização do euro em relação ao dólar e face às moedas dos países emergentes.
.
Reforma bancária falhou. Eu recomendo que você ir a qualquer bar e saber de pequenas empresas e as famílias da situação de crédito. Que garantias são necessárias e que os credores tipo. Verifique se as condições são piores do que antes da Troika resgate.
.
Adiamento da consolidação fiscal nos permitiu sair da recessão , mas não compensar os efeitos devastadores sobre o emprego ea adaptação da dívida pública de 2012. EUA mostrou que há vida após a crise da dívida. Mas é necessário um bom diagnóstico e uma política adequada. Após seu discurso, obviamente, tem um erro de diagnóstico e que complica significativamente a saída da crise .
.
Precisamos crescer mais , desvalorizar a taxa de câmbio, fazendo com que uma inflação moderada, aumente o investimento, aumente as receitas fiscais e dívidas de reestruturar famílias e das empresas para estabilizar a crise de crédito.  

.
Ao mesmo tempo, devemos resolver o problema  grego,português , cipriota , holandeses, irlandeses , etc tragédia . 
Se a política económica e europeia não mudar radicalmente , adeus 2014, com menos população, menos crédito, mais dívida e mais pobreza
.

Fico à sua disposição e desejo de que a força esteja com você.
-

José Carlos Díez é um economista - El País

MEIA DOSE DE GAFANHOTOS



Lavínia Leal | Publicado há 31 minutos

Na Escola de Turismo de Peniche já se ensina a cozinhar com gafanhotos e larvas. Em Lisboa a RTP encontrou um engenheiro mecânico que sonha com o dia que em vai abrir um restaurante da especialidade na capital. Aqui fica a ementa do Chef Miguel para o fim do ano - com insetos.
.
Há 11 anos escrevi e publiquei AQUI
Gastronomia  bizarra
Meia dose de gafanhotos, uma e outras de vários insectos é o que acontece, diáriamente, num dos muitos restaurantes de gastronomia artrópode  (insectos), na cidade de  Banguecoque, condimentados com molhos de piri-pire, peixe,camarão, ostras e , ainda,  com outros paladares exóticos.
 
Não se assustem!
Isto porque se observassem as frituras de gafanhotos numa das muitas bancas de ruas na “Cidade dos Anjos” lhes fazia abrir o apetite e crescer a água na boca. 
.
Como é sabido estes insectos apenas se alimentam de vegetais e de que maneira. 
.
Quando uma núvem cai em cima de uma seara devoram-na em menos tempo que o diabo esfrega um olho. A gafanhotada, depois de frita, fica muito parecida aos camarões fritos. 
.
Nos tempos que andei por África e quando vinham as primeiras chuvas, milhões de insectos, compridos saiam dos ninhos, morros, construidos com a suas babas, misturada com  terra,  chamados de “muchã”, cuja dureza se assemelhava a uma estrutura de cimento armado.
        
  1. Lagartas voadoras, compridas, batendo as asas, em direcção às luzes da iluminação pública, para o “bichinho” se suspender no ar, o que não aguentavam o flutuar da carga do peso e acabavam por cair, em queda livre, no solo.
  2. Os nativos enchiam latas que foram de 20 litros de petróleo e carregavam-nas para suas casas. Dias seguintes de ementas melhoradas com fartura de conduto para acompanhar a “fuba” (farinha de milho cosida).
  3. Em Banguecoque vim encontrar essa especialidade, culinária, dos nativos moçambicanos e ainda noutras variedades dessa bicharada.
      
Mas, não fique  por aí, confrangido ( claro se me lerem) com vontade de lançar a carga ao mar e dizer para os seus botões: “era lá capaz de comer essa “porcaria”! 
.
Pois, até petiscava, se ouvisse um mestre da gastronomia portuguesa, o Pereira, chefe de cozinha de um dos melhores restaurantes de Lisboa, o “Club dos Empresários”, na avenida da República, como eu lhe ouvi há uns anos em Banguecoque.
.
A curiosidade do Chefe Pereira levou-o a percorrer as ruas de Banguecoque, observou a fritura dos gafanhotos, as suas narinas aspiraram o cheiro do “esturricado” dos bichinhos avermelhados, iguais aos camarões na frigideira, não resistiu à tentação de provar e apreciou. 
.
O Chefe Pereira, veio integrado na delegação do António Clara, proprietário do Clube dos Empresários para um Festival de Gastronomia Portuguesa, no Hotel Oriental ( desde há vários anos classificado o melhor do mundo) durante 15 dias redondou num total sucesso e,  participaram no evento: o famoso guitarrista António Chaínho, o violonista Fernando Nóbrega e a Fadista Elsa Coimbra.
    
Mas antes que acabe com a história da tão estranha gastronomia, terei que colocar em relevo a excelente e inesquecível, depois de experimentada, a cozinha tailandesa, não fiquem por aí a pensar na Tailândia se comem “cobras e lagartos”. 
.
As cobras (embora proibida a captura para conservar o meio ambiente) têm sido exportadas e candongadas para Macau e outros países, daquelas bandas, de etnia chinesa).
.
Não conhecemos restaurantes tailandeses de comidas afrodisiacas e exóticas mas uma das melhores do planeta terra, onde nela, além da pureza, caracteristica, é muito farta de marisco e vegetais. De facto é picante e não conheço um prato tai que não seja condimentado com os pequenos “piri-piris” que até foram os navegantes portugueses que trouxeram as sementes de Moçambique para o Antigo Reino do Sião a partir dos anos 1512. 
.
Recomendamos que quando apreciarem as finas iguarias culinárias não entrem em pânico, bebendo copos e copos de água para afastarem a ardura da vossa boca, mas umas colheradas de arrozinho alvo de neve, cosido apenas com água e sempre colocado na mesa como na portuguesa está o pão, o picante foi-se e lentamente vai começar a gostar mesmo dum “piquezinho” no quotidiano da sua dieta.
 
Voltando à história da gastronomia “insectívora”, no que se refere à Tailândia, esta iniciou-se devido às contínuas pragas de gafanhotos, “Patanga Succinta” que em enormes nuvens levantavam vôo de Bombaim (Índia) em direcção às terras do Nordeste da Tailândia (Isaan e antigo império Khmer), aonde as plantações eram totalmente devastadas. 
.
Para evitar a ruína das colheitas, estas passam a ser antecipadas e começa, então, a doce vingança dos camponeses! Estes lembram-se de fritar em óleo, bem torrados, os intrusos e  com grande surpresa  dão conta do seu bom paladar. 
.
Os gafanhotos e outros insectos são ardilosamente capturados durante a noite em espaços, junto às culturas, aonde foram instaladas luzes fluorescentes e para onde os bichinhos, voadores e devoradores de tudo que seja verdura, se dirigem. No dia seguinte acabam no mercado e, dentro de uma sertã de restaurante, normalmente de rua , depois transformam-se num pitéu para os apreciadores de tão  estranha e exótica culinária.
.
São capturados na Tailândia, durante as duas únicas estações do ano existentes neste país, cerca de cento e noventa e quatro espécies de insectos. Um porta voz do Ministério da Agricultura do Governo da Tailândia informou que os insectos, além de fritos, são condimentos para outros pratos, onde se inclui a carilada.
.
Bem, se vier uns dias ao “País dos Sorrisos” e ao caminhar numa rua chegar até às suas narinas um cheiro muito similar ao do fritar uns carapaus, fica, desde já, a saber que não se trata da fritura de chicharros, carapaus do gato ou sardinhas petingas, mas sim de insectos!  
.
Pare num dos muitos restaurantes artrópodes de rua e, como o chefe Pereira, peça um para o saborear , certamente, vai ser da mesma opinião,do especialista da gastronomia portuguesa, que provou e gostou.

José Martins

EM SUMA: "NEM PARA CANTOR,MUITO MENOS PARA GOVERNADOR"


Clique na barra a seguir e verifique que ele cantava muito mal!!!

http://www.tvi24.iol.pt/videos/video/13417291/1

A Frase


«Muita gente me acusa de ser o culpado do estado de desgraça do nosso país por ter reprovado Pedro Passos Coelho numa audição em que eu procurava um cantor para fazer parte do elenco de "My Fair Lady". Até o espertíssimo gato fedorento Ricardo Araújo Pereira já afirmou que eu devia ser chicoteado em público todos os dias (...). Se não fosse a sua (Passos Coelho) tessitura de voz de barítono, hoje estaria no palco do Politeama na "Grande Revista à Portuguesa" a dar à perna com o João Baião, a Marina Mota, a Maria Vieira (...). Assumo o meu mais profundo remorso.»
Filipe La Féria, encenador e dramaturgo in jornal Público 
.
O João Baião até não canta mal....

"A SUBMARINADA: GRÉCIA E PORTUGAL"

.
"Nota: Os dois submarinos, portugueses, foram adquiridos no Governo do Durão Barroso/Paulo Portas e suspeitas que o Portas arrecadou, debaixo da mesa, uns largos trocos...Porém nunca se chegou a uma conclusão de certeza. Daqui suspeitamos que os trocos recebidos pelo Portas descansam, num "ilhéu" paraíso fiscal. Da fama o Portas nunca mais se livrará ao que ele pouco se importa... Vida há só uma!!!! Todos os bardamerdas iguais a ele são assim".


Grécia investiga subornos alemães em negócios de tanques e submarinos


Grécia investiga subornos alemães em negócios de tanques e submarinos
legenda da imagem
Chris Wattie, Reuters

Um alto funcionário do Ministério da Defesa grego confessou ter recebido 8 milhões de euros em subornos, grande parte dos quais da indústria bélica alemã, para favorecê-las em negócios de tanques e de submarinos. A oposição quer chamar ao parlamento o ministro da Defesa e suspeita de uma influência duradoura dos corruptores sobre as encomendas militares gregas.

O funcionário, identificado pelo Süddeutsche Zeitung (SZ), como Antonios Kantas, dirigiu de 1992 a 2002 a secção de armamento do Ministério da Defesa grego. Foi detido em meados de Dezembro, depois de a polícia ter verificado a existência de milhões de euros, de proveniência pouco clara, em contas secretas que tinha.
 .
Tanques, submarinos e sistemas antiáereos. 
.
Interrogado Kantas admitiu que aceitara subornos na ordem de 8 milhões de euros, dos quais 3,2 milhões de proveniência alemã. Estes tinham sido pagos por três multinacionais do ramo do armamento - a Rheinmetall, a Atlas e a Kraus-Maffei Wegmann. .
Para a polícia grega, a pista mais quente é a da Klaus-Maffei, que terá pago milhões para vender 170 unidades do seu tanque "Leoopard-2" ao Exército grego. Nesse negócio terá facturado, segundo o SZ, 1.700 milhões de euros - uma quantia respeitável para um país, como a Grécia, sufocado pelo défice.

.
Para a Justiça alemã, em processo iniciado pela procuradoria da Justiça de Bremen, a informação apurada diz respeito principalmente às outras duas corruptoras - a Rheinmetall e a Atlas, que conseguiram com os subornos favorecimento substancial para os seus produtos na área dos submarinos da classe "Poseidon" e dos sistemas de defesa antiaérea "Asrad".

 .
Também para a Justiça alemã, um outro processo tinha-se concluído em 2011 com a condenação de dois gestores da Ferrostaal, por terem subornado responsáveis gregos e portugueses.

 .
Portugal e a FerrostaalA Portugal haviam sido vendidos, segundo Der Spiegel, dois submarinos, pelos quais os gestores da Ferrostaal pagaram subornos. Um suborno que se considerou provado foi o de dois milhões de euros ao então cônsul honorário de Portugal em Munique, Jürgen Adolf - que no entanto não poderia, nessa função, influenciar decisivamente a adjudicação de uma encomenda.
.
Em consequência do processo, os dois gestores da Ferrostaal foram condenados em penas de prisão remíveis em dinheiro - quantias relativamente modestas, de 18.000 e 36.000 euros respectivamente. 
.
Tendo em conta as suas idades avançadas - 73 anos - não tiveram de cumprir prisão efectiva. Já a firma teve de pagar uma multa de 140 milhões de euros e acabou, em consequência de dificuldades agravadas com o desfecho do pleito judicial, por ser vendida a uma empresa de capitais árabes, sediada no Abu Dhabi.
 .
Implicação de políticos gregos.  
 .
O caso agora investigado pela polícia grega promete continuar a dar que falar. O funcionário Antonios Kantas confessou a aceitação de subornos no valor de 8 milhões de euros, mas a polícia tinha encontrado 14 milhões nas suas contas secretas. Kantas acabou por declarar que, desde 1989, tinha recebido 15 milhões em subornos.
.
Por outro lado, as empresas alemãs comprometidas pelo declarante negam ter efectuado pagamentos. Mas foi uma busca na filial da Rheinmetall em Atenas que pôs a polícia no encalço das contas sedretas e da prolongada actividade de Kantas.

 .
As ramificações do processo de corrupção atingem mais do que um alto funcionário do Ministério. O antigo ministro da Defesa Akis Tsochatzopoulos foi condenado a 20 anos de prisão por corrupção passiva, ao passo que o seu sucessor Jannos Papntoniou se viu também denunciado por Kantas, nas declarações prestadas à polícia. A corrupção é, segundo Kantas, transversal aos vários partidos que têm governado o país. A oposição quer ouvir no parlamento o actual ministro, Dimitris Avramopoulos.

.

O NOVO "MARMELO" DIRECTOR DE INFORMAÇÃO DA RTP


Nome de director de informação nomeado para RTP recebido com surpresa

José Manuel Portugal, de 50 anos, ocupa há uma década cargos directivos na RTP, mas quando é preciso também faz jornalismo.
José Manuel Portugal: “A minha morada é a matrícula do meu automóvel. Ando sempre de um lado para o outro” Sérgio Azenha
Os portugueses já nem se devem lembrar dele: o homem nomeado como novo director de informação da RTP é um jornalista quase desaparecido dos ecrãs de televisão. Aos 50 anos, José Manuel Portugal tem permanecido na sombra desde há uma década, ocupando sucessivos cargos directivos na RTP, onde sobreviveu incólume a três mudanças de direcção. Mesmo assim, a sua escolha para o cargo deixou muita gente de boca escancarada de espanto.
.
Começou  a fazer jornalismo na Rádio Universidade de Coimbra, quando frequentava o curso de Direito, mas cedo percebeu que a sua verdadeira vocação era “a comunicação”, conta. Entrou para a RDP em 1988, que acumulou durante anos com o trabalho na SIC, a convite de Emídio Rangel. Aluno do primeiro curso de Jornalismo da Faculdade de Letras da Universidade local, que arrancou em 1993, licenciou-se cinco anos depois, fez uma pós-graduação e foi convidado para dar aulas de jornalismo televisivo, o que ainda hoje faz, como professor assistente.
.
Em 2003 foi convidado para director do centro regional de Coimbra da RTP. Homem “de confiança” de Luís Marinho, director-geral de conteúdos, o director indigitado — cujo nome ainda vai passar pelo crivo da Entidade Reguladora para a Comunicação Social — foi ocupando vários cargos na empresa, como coordenador e subdirector para a informação não diária, responsável das delegações e director da RTP-Porto, onde permaneceu cerca de um ano e meio. Recentemente foi nomeado director-adjunto para os serviços internacionais.
.
Na empresa e fora dela a notícia foi recebida com surpresa e, também, com algum temor. “As pessoas estão apreensivas”, sintetiza um jornalista que pediu para não ser identificado. Aliás, das dez pessoas com quem o PÚBLICO falou neste sábado sobre a nomeação de José Manuel Portugal apenas uma aceitou ser citada. Várias recusaram-se a comentar o que quer que fosse.
.
O crítico de televisão Eduardo Cintra Torres mostra-se perplexo. “As pessoas não quem acreditar. Como é possível? Ele não só não tem perfil para o cargo, como não tem perfil. Não tem currículo, credibilidade, trabalho jornalístico, nada. É o homem sem qualidades”, sintetiza. Há quem destaque vários aspectos positivos. É, enumeram, “popular”, “bem-humorado” e “mexido.“
.
O próprio confirma-o: “A minha morada é a matrícula do meu automóvel. Ando sempre de um lado para o outro”, descreve Portugal, que vive em Coimbra, mas se habituou a percorrer o país e que, apesar de ter abandonado o jornalismo activo para ocupar cargos de direcção, sempre que pode volta a pegar no microfone. Isso aconteceu poucas vezes, quase sempre quando foi apanhado perto de "catástrofes". 
.
“Estava no Algarve quando caiu uma arriba, fiz um directo quando houve um acidente de comboios perto de Coimbra. E aconteceu o mesmo nas enxurradas da Madeira, quando um jornalista se atrasou no meio da serra. Peguei no microfone e fiz”, recorda. 
.
No ano passado, voltou a aparecer, fugazmente, na apresentação de um programa com Joana e Carlos Amaral Dias. Chamava-se Portugal no Divã.

As capas dos jornais e as principais notícias de Domingo, 29 de Dezembro de 2013.



Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

"É pouco provável" que Síria cumpra prazo para retirada de armas químicas
Conservadores arrasam Guterres
Tiro de caçadeira para avisar rival
Dulce Félix ganha "guerra dos sexos" na São Silvestre
DGS pede a lisboetas que evitem pôr lixo na rua
Cinco cadáveres decapitados descobertos em estado mexicano
Morreu autarca que tinha cancro

Capa do Público Público

Há pessoas que vivem na rua por não quererem abandonar os seus animais
Três jogos marcantes da Taça da Liga
Sporting-FC Porto, um clássico de prioridade média
Cartas à directora
A importância e o enquadramento da promoção da marca Wines of Portugal
Por favor, um intervalo
Uma parceria para ajudar quem tem amigos de quatro patas

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Aquilo de que o país precisa a todos os níveis
Presidente 1 Comentador 0
Os acontecimentos que marcaram o País
"Agora há um bocadinho mais de respeito pelas crianças"
E se o papão da matemática estivesse na nossa mão?
"Vamos ultrapassar as dificuldades que vivemos"
O ano da invasão das fronteiras pelos sírios

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Marinha retira passageiro de navio com indícios de hemorragia interna
Número recorde de apelos na linha de prevenção do suicídio
Imagem falsa de Jennifer Aniston torna-se viral
"Devemos criar pontes entre as empresas e a economia social"
Explosão em casa devoluta junto ao jardim de S. Lázaro
Das ruínas nasce um lar para os sem-abrigo
Menino de nove anos "conquista" pico na Argentina

Capa do i i

Dezenas de detenções, acusações e condenações por assaltos a caixas Multibanco este ano
Miguel Frasquilho."Se tivermos de optar por um mal menor, o IVA é a hipótese em cima da mesa"
PSD preocupado com efeitos da greve da recolha de lixo para a imagem da cidade
Passos. A mensagem de Natal que desrespeitou o espírito natalício
Lisboa. Recolha de lixo só vai estar normalizada cinco dias depois da greve
Aprendera sobreviver. É de pequenino que se salva o bebé
PCP vai continuar a lutar contra governo que quer “roubar alegria de viver” aos portugueses

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

A bolsa portuguesa vai manter o bom desempenho no próximo ano?
A troika vai sair de Portugal?
Vinte trabalhadores dos Estaleiros rescindiram contrato com a empresa
Impossible Instant Lab
Em busca de sinais de sangue
Porsche Panamera Diesel vitaminado
Saiba qual o IMI que o seu concelho vai cobrar em 2014

Capa do A Bola A Bola

Mudanças no ataque vila-condense
Henrique Calisto quer reduzir plantel
Goleador volta a adiar estreia
Jesualdo Ferreira procura a Taça que lhe foge
Fechar o ano com vitória
Panathinaikos avança para Rodrigo Galo
Henrique Calisto foi ver o Aves

Capa do Record Record

João Fonseca: «Um jogo deste nível dá maior motivação»
Retorno ao José Arcanjo possível já em janeiro
Museu de CR7 já começa a precisar de obras
Sentimento de vitória e nunca de hostilidade
Rui Duarte recuperado
Carlos Eduardo com teste a doer
Universidade do Chile pensa em Rinaudo

Capa do O Jogo O Jogo

Robinho não perdoa nem mesmo entre amigos
Livre à Ronaldinho
Seleção basca goleia Peru por 6-0
Mourinho e Ronaldo vistos pelo motorista
Direito conquista Taça Ibérica
Totoloto: Chave do Concurso 104/2013
António Abadia venceu Volta ao Funchal