Translator

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

As capas dos jornais e as principais notícias de Sexta-feira, 14 de Fevereiro de 2014.



Capa do Correio da Manhã Correio da Manhã

Presidente da Venezuela diz que está em curso um golpe de Estado
Luz verde para salvar o Vitória de Setúbal
Ferreira Diniz deixa prisão com pulseira eletrónica
‘Boyhood’ olha para o Urso de Ouro
Alerta: sexta-feira com ventos de 100 km/h
Milhares dão parabéns no Facebook a menino sem amigos
Três finalistas para dirigir gabinete de Estratégias da Cultura

Capa do Público Público

Sunny Portugal
ERC tece críticas ao contrato de concessão da RTP
Costa não acredita nos passos curtos, Maduro recusa o grande salto na descentralização
A inovação segundo Seguro
Cartas à Directora
O novo mapa da (in)justiça
Indianos

Capa do Diário de Notícias Diário de Notícias

Quercus pede a Passos lista dos edifícios com amianto
Viciados no aborto
Padre Feytor Pinto reza pelos mortos do Meco
Portugal não está pronto para discutir eutanásia infantil
Quatro famílias desalojadas devido a mau tempo
Militares convocam grande ação de protesto para março
Médico ficou em prisão preventiva

Capa do Jornal de Notícias Jornal de Notícias

Térmitas inspiram investigadores na construção de robots
Maduro considera que está em curso golpe de Estado na Venezuela
Capitania do Funchal emite aviso de mau tempo
Sofia Ribeiro despe-se para produção ousada
"Flappy Bird" proibido no Ebay e com preços loucos em Portugal
Jamie Cullum, John Newman e Tom Odell no cartaz do Festival Sudoeste
Russos escalaram às escondidas os 650 metros do Shanghai Tower

Capa do i i

Capa do Diário Económico Diário Económico

O investimento e a fiscalidade internacional
Deixem a lei laboral em paz
Hipócritas há muitos – gananciosos ainda mais
Conheça os novos critérios para despedir
Ministério Público comete segundo erro no caso dos Miró
Letta forçado a demitir-se por pressão do próprio partido
Salgado encara todos os cenários para manter Estado fora do banco

Capa do Jornal Negócios Jornal Negócios

A pronúncia do euro
Cartões bancários: o projeto inútil da Comissão Europeia
Autoeuropa importa ferro fundido de Espanha por falta de resposta nacional
Bancos exigem saldos de conta mais elevados para isentarem clientes
Mercados emergentes voltam a ser protagonistas!
Novo partido na calha?
O FMI, a Esquerda e a amnésia

Capa do Oje Oje

Lucro da EDF cresce 7,4% em 2013
Banco do Brasil alcança lucro recorde
Comcast avança para a Time Warner Cable
BNP Paribas fecha ano a ganhar menos 26,4%
Bosch abre no Quénia e segue para Angola
BAI é o primeiro banco angolano a receber rating
Soares da Costa constrói nova sede do INE em Luanda

Capa do Destak Destak

Seul e Pyongyang concluem sua segunda reunião de alto nível numa semana
Venezuelanos protestam no México por repressão contra estudantes no seu país
Tailândia lança operação policial para recuperar alguns locais de protesto
Maduro convocou manifestação para sábado "pela paz e contra o fascismo" na Venezuela
Morreu aos 85 anos o ator Ralph Waite, patriarca da série "The Waltons"
China está a planear construir o maior tunel subaquático do mundo
Human Right Watch pede investigação imparcial sobre mortes nas manifestações na Venezuela

Capa do A Bola A Bola

Millonarios travou Moreno
Planel impedido de treinar no Estádio do Machico
Renovação de Enzo alinhavada e com melhoria salarial
Kal Baiano é o novo observador
Shikabala impressiona nos treinos
Presidente do Tenerife admite contactos por Ayoze Pérez
Rodrigo Gómez (Argentinos Juniors) na órbita inglesa

Capa do Record Record

José Gomes: «Não é vantajoso para quem gere arbitragem»
Joaquim Campos: «E se nunca saísse a bola com o nome do Proença?»
Marcelo garante união sem técnico no banco
Mico veste pele profissional no mundo amador
Juniores: Candidatos da ordem
Fiat reforça 500L com versão especial
Esperança venezuelana no ataque às águias

Capa do O Jogo O Jogo

Marítimo apresenta equipa
Medalha de ouro para Portugal
"Não sou uma fraude fiscal"
"Cristiano é um grande companheiro e amigo"
México vai testar os Estados Unidos
"Respeito Jesualdo, mas estamos na final com mérito"
"Deixei de comer bolachas"

Triste mas verdadeiro...



A Alma Portuguesa...


http://1.bp.blogspot.com/-lEbzovKjYQg/UvrQSSyAclI/AAAAAAAAF-Y/uM7hddLRc6M/s1600/Somos+Portugueses.jpg
No comments :

"LÁ VIRÃO, PARA ADOÇAR A BOCA, UNS REBUÇADITOS PARA OS MIÚDOS DA EUROPA"



António Carneiro, RTP

A Comissão de Emprego e Assuntos Sociais do Parlamento Europeu aprovou, por larga maioria, um relatório devastador que acusa a troika de ter agravado o desemprego, a pobreza e a destruição das pequenas e médias empresas na Grécia, Portugal, Irlanda e Chipre. O relatório, que deve ser ratificado numa sessão plenária em março, pede que a União Europeia ponha em marcha um plano de recuperação para reverter os cortes sociais aplicados nos quatro países resgatados.

"NAPOLEÃOZECO DE MEIA-TIGELA"


Aguiar-Branco nega ter admitido a Garcia Leandro que nada sabia de Defesa


Aguiar-Branco nega ter admitido a Garcia Leandro que nada sabia de Defesa
legenda da imagem
Ueslei Marcelino, Reuters

É com um “esclarecimento” de quatro pontos que o ministro da Defesa reage a duras críticas deixadas por Garcia Leandro numa entrevista emitida esta quinta-feira pela Antena 1. Além de reprovar a “pouca experiência” do atual Governo em matérias de Estado, o antigo presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo assestou baterias a José Pedro Aguiar-Branco, revelando que este lhe teria confessado, ao assumir a pasta, não fazer “a mínima ideia” do que seria o sector. O governante nega-o. E lembra que não tem “a tutela das preferências pessoais” do general.

.

Foi em entrevista à editora de Política da rádio pública, Maria Flor Pedroso, que o general Garcia Leandro revelou o teor de uma conversa que disse ter mantido com José Pedro Aguiar-Branco no final de outubro de 2011, quatro meses depois da tomada de posse do XIX Governo Constitucional. Na entrevista à Antena 1, Garcia Leandro estimou que o atual Executivo “não percebe nada do que é o Estado, para que servem as Forças Armadas e as forças de segurança”.
.
“São pessoas que têm muito pouca experiência do Estado, são muito jovens na maioria, muitos fizeram a vida nos partidos políticos ou nas juventudes partidárias e, de repente, cai-lhes no colo o Estado que não conhecem”, reforçou.

.
“No primeiro contacto, ele disse-me, no dia 28 de outubro de 2011: sabe, isto está muito difícil para mim, porque, se eu fosse ministro da Justiça, era mais fácil. Isto é uma coisa que eu não conheço, não faço a mínima ideia”, relatou o antigo presidente do OSCOT, que atribuiria uma outra afirmação a Aguiar-Branco: “Ao mesmo tempo, é muito bom, porque eu, não percebendo nada disto, tenho mais capacidade para fazer reformas. Isto não merece comentários”.


Numa nota de quatro pontos, o gabinete do ministro da Defesa procura agora desmentir as palavras do general, começando por sublinhar que Garcia Leandro não é “assessor, amigo pessoal ou confidente” de José Pedro Aguiar-Branco.
“Muitas vontades”
.
“O ministro da Defesa teve o prazer da sua companhia uma única vez, ao longo do mandato, e em momento algum foi proferida a frase que bombasticamente lhe é imputada ou as restantes considerações relatadas pelo senhor Tenente-General”, lê-se no texto do Ministério.

.
A roçar a ironia, o titular da pasta da Defesa admite, em seguida, “não ter sido possível acomodar, no processo de reforma em curso, as muitas vontades do senhor Tenente-General”. Para então assinalar que “não é ministro com a tutela das preferências pessoais do senhor Tenente-General Garcia Leandro”.

.
“O ministro da Defesa Nacional reafirma o seu maior e profundo respeito pela liberdade de expressão e lembra que nunca se sentiu incomodado com as múltiplas e repetidas expressões públicas de discordância do senhor Tenente-General Garcia Leandro, ou com as suas aparições em campanhas publicitárias contra a reforma em curso”, conclui o gabinete ministerial.

.

"O REI VAI NU NA PROCISSÃO"


A Frase

Por agora vendemos o nosso perfil de dívida "lixo" como se fosse ouro. O que importa é ir sempre vendendo. Enquanto alguém emprestar, tudo rola. Outra dúvida: e que tal um programa cautelar para garantir juros abaixo dos 3%? Bom... isso seria razoável. Mas que se lixe. Coelho é o rei. The king. Juros a 5% por cento é como cocaína para quem não quer ressacar (perder as eleições): snifa-se mais alguma e logo se vê.
Daniel Deusdado, JN

25 DE ABRIL: "CAGADA HISTÓRICA, PORTUGUESA, DO SÉCULO XX"


Retirada proposta de mecenato para assinalar 25 de Abril

13 de Fevereiro, 2014
A presidente da Assembleia da República admitiu hoje ter sugerido aos grupos parlamentares que as comemorações do 25 de Abril do parlamento recorressem ao mecenato com fundações de utilidade pública, mas a ideia foi abandonada.
 .
"Um programa tem sempre custos, se é um programa com ambição os custos são mais elevado e eu confesso que num debate com os líderes parlamentares sugeri a hipótese de recurso ao mecenato", disse à Lusa Assunção Esteves.
.
O jornal Público avançou hoje que Assunção Esteves tinha proposto aos grupos parlamentares que o financiamento das comemorações dos 40 anos do 25 de Abril passassem pelo mecenato, uma ideia que foi discutida e definitivamente abandonada numa reunião da presidente da Assembleia com os grupos parlamentares, que terminou cerca das 13h30.
.
A presidente da Assembleia ressalvou que não de tratou de uma "proposta intensa, condicionante, mas de uma sugestão" de uma prática "que não é nova, é praticada por instituições em muitos países e deve ser realizada com parcimónia".
.
"Esse mecenato seria junto de instituições das quais não viesse a leitura de qualquer forma de ‘lobby' sobre o Parlamento. Pensámos em fundações de utilidade pública, somente", disse.
.
"A ideia não gerou polémica cá dentro, só nos media. Foi pensada, mas não polemizada", acrescentou, sublinhando acreditar que o recurso ao mecenato "no futuro, será um método das instituições".
.
O programa das comemorações não está fechado, por isso não existe ainda uma estimativa do seu custo, disse Assunção Esteves à Lusa.
.
Contudo, a presidente sublinhou que "o tempo político tem uma dimensão de simbólico, sobretudo em tempos de crise".
.
"O que é verdadeiramente muito importante é o trabalho de cada dia no Parlamento, essa é a homenagem ao 25 de Abril, e é isso que os portugueses esperam de nós, mas não podemos também deixá-los frustrados com a sua festa, porque o simbólico neste tempo é ainda mais importante", argumentou.
.
"Temos que ser redentores a olhar este 25 de Abril", declarou, considerando que "a celebração induz a esperança, a proximidade entre as pessoas e o sistema político e o trazer para dentro das instituições os afectos".
Lusa/SOL
.
No comments :

Submarinos: Ex-consul de Portugal julgado na Alemanha por corrupção


Conheça aqui excertos de um documento, apreendido, em 2010, no escritório de Jürgen Adolff pela polícia alemã, onde o ex-cônsul honorário de Portugal em Munique descreve como tentou influenciar a opção do Governo Durão Barroso-Paulo Portas pelos submarinos alemães.

15:15 Quinta feira, 13 de Fevereiro de 2014 |
Como se conta na edição impressa da VISÃO desta semana, Jürgen Adolff foi entre 1994 e 2010 e está a ser julgado na Alemanha por corrupção passiva em Munique.
.
Segundo as autoridades alemãs, o ex-cônsul honorário, com interesses empresariais no Algarve, terá recebido "luvas" para influenciar a decisão do governo Português na aquisição, em 2004, de dois submarinos a um consórcio alemão liderado pela multinacional Ferrostaal.
.
Esse dinheiro terá sido pago ao abrigo de um contrato de consultoria que iria garantir a Adolff 0,3% do montante envolvido nos submarinos - 880 milhões de euros.
.
Mas, em 2004, a Ferrostaal quis reduzir-lhe as comissões em 50 por cento. O ex-cônsul honorário não gostou e fez um relatório detalhado sobre a sua influência na decisão do Executivo de Lisboa, reclamando o pagamento na totalidade e acabou por receber mais de 1,6 milhões de euros pelos serviços prestados.
.
Eis excertos do documento apreendido, em Março de 2010, pela polícia alemã no seu escritório de Munique.

.
'Diário' do cônsul
10.06.1999 - Receção pelo embaixador de Portugal em Bona, Sr. Dr. João Diogo Nunes Barata. Conversa do Dr. Jürgen Adolff e Rita Adolff [sua mulher] com o Sr. Hanfried Haun, administrador da Ferrostaal e o vice Sr. Weisser. O Sr. Haun fala sobre a estagnação das pré-negociações com Portugal (...). Ele solicita apoio. 
.
19.08.1999 - Telefonema do Sr. Haun por causa das propostas de contrapartidas e do meu encontro com o Sr. Dr. Veiga Simão (anterior ministro da Defesa).
.
2000 e 2001 - O Governo do Estado português (PS) não mostra um interesse prioritário nas negociações relacionadas com a compra de submarinos. Em especial devido a problemas orçamentais e à falta de uma solução de questões relativas ao financiamento. 
.
05.07.2002 - Logra-se convidar o sr. Primeiro-ministro Barroso para Munique.
Conferência na Fundação Hanns Seidel [fundação política ligada ao União Social Cristã, da Baviera].
Organizo almoço a pedido do PM Barroso. Convido também o Sr. Haun. Promovi em especial a conversa entre o Sr. primeiro-ministro Barroso e o Sr. Haun.
Resultado: PM Barroso incumbe o Dr. Mário David [seu conselheiro] e a mim de continuarmos a acompanhar e a promover o assunto do GSC.
Comentário do Sr. Haun: Até agora nunca se negociou a este nível. Ainda à mesa, o Sr. Haun confirma honorários adequados. (...)
.
09.07.2002 - Proporciono um encontro a curto prazo entre o Dr. David e o Sr. Haun em Lisboa.
.
31.07.2002 - Sr. Haun comunica-me que estará em Lisboa a partir de 22.09.2002 e pede agendamento de novas reuniões. 
.
24.09.2002 - O Sr. Haun comunica que discutiu, em Lisboa, o projeto de contrato para a compra e que esse foi bem recebido. Pede a intervenção a Dr. Jürgen Adolff para conseguir encontros com o ministro da Defesa, Dr. Paulo Portas, e com o ministro da Economia Dr. Tavares.
.
24.09.2002 - Carta enviada ao Dr. David. Acordada reunião para 03.10.2002 para proposta de financiamento. Marcada reunião com o ministro da Defesa, Dr. Paulo Portas. 
.
03.10.2002 - Reunião sobre o ponto da situação negocial entre
Sr. Haun
Sr. Mühlenbeck
Dr. Jürgen Adolff
Sr. Rita Adolff
Seguiu-se encontro com Dr. Mário David em São Bento, residência oficial do primeiro-ministro, com o Sr. Philipp Schöller da International Defense Financing.
Apresentação extremamente importante que mostrou uma via (?) de que há maneiras de representar um financiamento neutro do ponto de vista orçamental.
Numa conversa subsequente com o Dr. David (conselheiro político do primeiro-ministro) pôde esclarecer que soluções idênticas também são possíveis com grandes Institutos (por exemplo, bancos).
Isso levou posteriormente, na sequência da elaboração de um conceito adaptado e refinado, a convidar 10 bancos internacionais e, finalmente, à escolha dos dois bancos financiadores, o Credit Suisse e o Espírito Santo.
.
10.01.2003 - Dr. Jürgen Adolff informa o Sr. Haun de que vem a Lisboa uma delegação francesa de alto nível.
Uma vez mais, Dr. Jürgen Adolff, aconselha veementemente a apresentar, num curto prazo, um conceito de financiamento adequado (orçamentalmente neutro) para cerca de 4 a 5 anos sem exidibilidade do pagamento. 
.
07.02.2003 - Buscar o ministro da Defesa ao aeroporto de Munique para a Conferência de Segurança. Durante a viagem entre o aeroporto e o hotel, cerca de 40 minutos, conversa a dois. Entre outros assuntos, também sobre submarinos.
.
08.02.2003 - Buscar ministro Paulo Portas ao hotel.
Participação [de Portas] na Conferência de Segurança. Conhecido statement do ministro Paulo Portas a favor de [Donald] Rumsfeld contra [Joshka] Fischer relativamente à guerra do Iraque. (...)
Conversa entre o Dr. paulo Portas e o então presidente da Comissão de Defesa da Alemanha. 
.
09.02.2003 - Pequeno-almoço com a delegação portuguesa no hotel e aconselhamento sobre a reação da imprensa ao statement do Sr. ministro Paulo Portas. A minha proposta foi a de acalmar os ânimos com o contrato dos submarinos. Conversa entre o Dr. Paulo Portas e o presidente da Comissão de Defesa da Alemanha, intermediada por mim.
.
25.09.2003 - GSC ganha o concurso. 
.
11.11.2003 - É tornada pública a decisão pelos submarinos alemães.
.
19.02.2004 - (...) Sr. Haun pediu ajuda. Negoceia, há semanas, com subalternos, sem qualquer progresso. (...) Prometo esmerar-me. 
.
21.02.04 - Assinatura oficial dos contratos (...).
Contrapartidas significativamente simplificadas. Não é necessária a participação nos Estaleiros de Viana do Castelo.

  • SAIBA MAIS SOBRE O CASO E OS NEGÓCIOS DO EX-CONSUL EM PORTUGAL NA VISÃO DESTA SEMANA

"A POUCA DIGNIDADE! "

...mas que grandessíssimo aldrabão; que desfaçatez! é que faz exactamente aquilo que antes condenava com a maior veemência, chegando a apelidar de criminosas algumas das medidas que, agora, tem vindo a adoptar, num excesso enorme. 
Como se pode ser tão contraditório, sem apresentar um mínimo de acanhamento, de vergonha! Que topete; que nojo de homem, que grande vigarista!
Assim vai vivendo este pobre país, a ser continuamente aldrabado pelos politicos. E, o mais escandaloso, é que as pessoas nem já reagem. É pavoroso!



SERÁ MESMO....?

 Reparem no pormenor no 1º plano da foto. O medo de quem nos rouba já é tanto, que os militares recebem instruções para irem para as cerimónias, particularmente naquelas em que estiver o ministro, com as armas sem carregadores. Ao que chegámos...

A senhorita Maria Luís é como o armeiro branco da anedota... - Alfredo Barroso

Alfredo Barroso  A senhorita Maria Luís é como o armeiro branco da anedota...

   «Este governo não tem nada contra os funcionários públicos nem contra os pensionistas», disse a inefável ministra das Finanças, senhorita Maria Luís Albuquerque, explicando que o alargamento da famosa Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) justifica-se pela «necessidade de garantir a sustentabilidade das contas públicas». Esta extraordinária declaração da senhorita Maria Luís fez-me lembrar uma famosa anedota, que, por acaso, me foi contada pela primeira vez pelo Raul Solnado, num jantar de aniversário, há mais de 20 anos, e que reza mais ou menos assim:
Numa cidade do sul dos EUA, um preto entra numa loja de venda de armas, é recebido ao balcão pelo armeiro branco dono da loja, vai olhando para as armas expostas nas vitrinas e vai perguntando:
- O senhor tem uma pistola Beretta?
- Não tenho, não senhor!
- E tem uma Walther?
- Não tenho, não senhor!
- E tem uma Smith & Wesson?
- Não tenho, não senhor!
- E tem uma espingarda Remington?
- Não tenho, não senhor!
- E tem uma Brownning?
- Não tenho, não senhor!
- E tem uma Kalashnikov?
- Não tenho, não senhor!
- E tem uma pistola-metralhadora UZI 9MM?
- Não tenho, não senhor!
- E tem uma Breda M37?
- Não tenho, não senhor!
- E tem um lança granadas de espingarda Energa m/953?
- Não tenho, não senhor!
- E tem um lança granadas Battlefield 4 MGL?
- Não tenho, não senhor!
- E tem uma BaZuka by runie84?
- Não tenho, não senhor!
- Oiça lá, o senhor tem alguma coisa contra os pretos?
- Tenho, sim senhor! Uma Beretta, uma Walther, uma Smith & Wesson, uma Remington, uma Brownning, uma UZI 9MM, uma Breda M37, um Energa m/953, um Battlefield 4 MGL, uma BaZuka by runie84, e ainda, se for preciso, um Canhão Sem-Recuo de 106MM!
A senhorita Maria Luís também não tem nada contra os funcionários públicos e contra os pensionistas, a não ser a Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES), os cortes brutais nos salários e nas pensões, o aumento dos impostos e das contribuições para a ADSE, a diminuição dos subsídios de doença e de desemprego, assim como das comparticipações nos medicamentos, o aumento das taxas moderadoras no SNS, etc, etc, etc...